Economia portuguesa deve crescer 1,2% este ano, prevê sondagem da Bloomberg

Para 2017 e 2018, os economistas inquiridos pela agência Bloomberg estimam um crescimento na mesma ordem.

A economia portuguesa deve crescer 1,2% este ano, segundo uma sondagem de economistas realizada pela agência Bloomberg, um ritmo de expansão que se deve manter em 2017 e 2018.

O inquérito feito a 23 economistas entre 2 e 9 de dezembro, resultou numa revisão em alta da previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) português para este ano, face à estimativa média de 1% em setembro.

Em termos trimestrais, espera-se um crescimento de 0,2% entre outubro e dezembro face ao trimestre anterior, enquanto o início do próximo ano deverá ser marcado por uma expansão de 0,3%. A revisão em alta surge após o Instituto Nacional de Estatística (INE) ter divulgado os dados do terceiro trimestre deste ano, que dão conta de um crescimento de 1,6% em termos homólogos e de 0,8% em cadeia, suportado num forte crescimento das exportações.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) também reviu em alta as suas previsões para este ano, na semana passada, para 1,3% de 1%.

O alemão Commerzbank avisou, no entanto, que Portugal ainda não está fora da zona de perigo.

“Apesar do forte crescimento económico no terceiro trimestre, e do facto da meta do défice (público) estar prestes a ser atingida, Portugal permanece um dos candidatos a sofrer uma crise na zona euro. Recentemente, o crescimento foi sustentado inteiramente pela procura externa, e uma recuperação baseada em crescimento interno ainda não está à vista,” disse, citado pela Bloomberg.

Relacionadas

Economia da zona euro cresceu 0,3% no terceiro trimestre, Portugal no topo da tabela

Segundo o Eurostat, a expansão de 0,8% da economia portuguesa foi a maior na zona euro, a par da Grécia, e a terceira entre os estados da União Europeia.

FMI sobre Portugal: Mais otimismo mas faltam 760 milhões em medidas para 2017

Crescimento é possível e meta do défice é alcançável: o FMI está moderamente otimista com o desempenho português mas há sempre um “mas”… um “mas” de 760 milhões de euros.

BCE revê em alta previsão de crescimento na zona euro para 2017

O Banco Central Europeu manteve as suas previsões de crescimento da zona euro para 2016 em 1,7%, valor que agora antecipa também para 2017, o que representa uma ligeira revisão em alta face à anterior projeção (1,6%).

INE confirma crescimento de 1,6% à boleia das exportações

O Produto Interno Bruto (PIB) registou, em termos homólogos, um aumento de 1,6% em volume no 3º trimestre de 2016.
Recomendadas

Médicos dão prazo de duas semanas para Ministério da Saúde marcar reunião

“Já fizemos seguir o pedido de reunião ao senhor ministro [da Saúde, Manuel Pizarro] e solicitámos que essa reunião se desenvolva com a celeridade que deve e estabelecemos um limite para nas próximas duas semanas sermos convocados para essa reunião”, adiantou Noel Carrilho.

Número de trabalhadores em layoff clássico cai 6% em agosto

Os empregadores recorreram menos ao layoff clássico em agosto do que no mês anterior. Caiu 6% o número de trabalhadores abrangidos.

Teixeira dos Santos defende que aumentar pensões e Função Pública não alimentaria inflação

Em entrevista ao Público, o ex-ministro das Finanças Fernando Teixeira dos Santos não só não acredita que aumentar as pensões e os salários da Função Pública alimentaria a espiral inflacionista, como atira que o Governo tem de esclarecer melhor o argumento utilizado pelo Governo para limitar as atualizações regulares a que os pensionistas teriam direito.
Comentários