EDP avança com processo contra o Estado e reclama 717 milhões de euros

A elétrica reclama esta verba por conta de um fundo que durante anos serviu para amortizar, no sistema elétrico nacional, o impacto das oscilações entre anos secos e anos húmidos.

Cristina Bernardo

A EDP colocou uma ação administrativa contra o Estado português no Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa. A empresa elétrica reclama uma verba de 717 milhões de euros do fundo de hidraulicidade, um instrumento entretanto extinto que servia para amortizar o impacto das secas no custo da energia, avança o jornal “Expresso“, esta quinta-feira, 12 de dezembro.

De acordo com o semanária a ação deu entrada na quarta-feira e está relacionada com um diferendo que se arrasta há dois anos, relativo à chamada “conta de correção de hidraulicidade”.

Ao “Expresso”, o secretário de Estado da Energia, João Galamba, refere que homologou a 9 de outubro a proposta que lhe havia sido feita por um grupo de trabalho, no sentido de não dar razão às pretensões da EDP.

Recomendadas

“Empresas arriscam sozinhas a entrada em mercados pela fraca dinamização e falta de apoio”

Mais de mil empresas participaram no Portugal Exportador no dia 23, orientado para a estratégia de internacionalização.

Rampa Digital dá consultoria às empresas sobre negócios no online

Associação .PT, gestora do domínio web português, quis estar perto das empresas que estão em processo de internacionalização.

Greve na Vueling com impacto reduzido tanto em partidas como chegadas de voos

A Vueling espera operar normalmente hoje 502 voos em toda a sua rede: 136 dos 162 programados em Barcelona (84%), 198 dos 215 programados no resto de Espanha (92%) e 169 dos 184 programados internacionalmente (92%).
Comentários