EDP comunica ao mercado venda do défice tarifário de 384 milhões

“Estes défices tarifários resultam do diferimento por cinco anos da recuperação dos sobrecustos de 2017 e 2018, respetivamente, com a aquisição de energia aos produtores em regime especial (incluindo os ajustamentos de 2015 e 2016, para o défice tarifário de 2017, e de 2016 e 2017 para o défice tarifário de 2018)”, diz a eléctrica.

A EDP informou hoje a Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM) da venda do défice tarifário em Portugal, de 384 milhões de euros.

“A EDP Serviço Universal, comercializador de último recurso do sistema elétrico português, detido a 100% pela EDP, acordou a venda, através de oito transações individuais sem recurso, de 10,4% do défice tarifário de 2017 e de 26,1% do défice tarifário de 2018, relativos ao sobrecusto com a produção em regime especial, por um montante de 384 milhões de euros”, refere o comunicado à CMVM.

O comunicado acrescenta que “estes défices tarifários resultam do diferimento por cinco anos da recuperação dos sobrecustos de 2017 e 2018, respetivamente, com a aquisição de energia aos produtores em regime especial (incluindo os ajustamentos de 2015 e 2016, para o défice tarifário de 2017, e de 2016 e 2017 para o défice tarifário de 2018)”.

Recomendadas

Black Friday faz volume de pagamentos com Ifthenpay aumentar 18% em novembro

A Ifthenpay, empresa portuguesa especializada e líder de mercado em pagamentos digitais para empresas, anunciou que registou um crescimento de mais 18% ao longo do mês de novembro na movimentação financeira através dos seus pagamentos digitais (+95,5 milhões de euros), e por comparação com período homólogo do ano anterior.

BPI distribui presentes de Natal a crianças no país

A edição de 2022 deverá mobilizar milhares de pessoas – entre trabalhadores sociais, voluntários, colaboradores e clientes do banco – para realizar os desejos de crianças apoiadas por instituições sociais que lutam contra a pobreza infantil em todo o país.

Exigir participação de mulheres em conferências é o novo grito pela igualdade

O BNP Paribas Portugal assumiu o compromisso de garantir 40% de mulheres no Comité Executivo do Banco e no G100 até 2025 e de não participar em conferências em cujos painéis não estejam mulheres. Acordo com movimento francês Jamais Sans Elles foi oficializado no dia 10 de novembro.
Comentários