EDP contrata linha de crédito de 3,65 mil milhões com critérios ESG

A transação foi organizada pela própria EDP, em conjunto com o BNP Paribas no papel de “Documentation Agent” e o Banco Santander no papel de “Sustainability Coordinator”, na modalidade de Club Deal, contando com a participação de 25 bancos nacionais e internacionais.

A EDP – Energias de Portugal e a EDP Finance BV assinaram um contrato de abertura de crédito na modalidade “revolving”, no montante de 3.650 milhões de euros, pelo prazo de cinco anos, extensível por 2 anos adicionais (com consentimento dos bancos), e que permite utilizações em euros e dólares dos EUA, avança a eléctrica.

Esta é a primeira “sustainability-linked facility” da EDP e está ligada a dois fatores ESG –  Environmental (Ambiente), Social (Social) e Governance (Governança Corporativa). Por um lado a redução de emissões de gases de efeito de estufa de âmbito 1 e 2 e o aumento da percentagem de energias renováveis na capacidade instalada total do Grupo EDP.

Esta nova linha reforça a solidez financeira e a liquidez do Grupo EDP.

“Houve um aumento do montante contratado, resultante de um excedente de procura e do número de bancos comprometidos face à linha de crédito (de 3,3 mil milhões de euros) que este contrato veio substituir. A linha anterior não tinha tido quaisquer utilizações, estando inteiramente disponível à data da sua substituição”, diz a EDP.

A nova linha “foi dimensionada de acordo com os Sustainability-linked Loan Principles da Loan Market Association e os objetivos da redução de emissões estão alinhados com a trajetória definida cientificamente pela Science Based Target initiative para limitar o aumento da temperatura global média em 1,5ºC. O cumprimento, ou não, dos objetivos anuais terá impacto no custo da linha de crédito”, refere a empresa.

A transação foi organizada pela própria EDP, em conjunto com o BNP Paribas no papel de “Documentation Agent” e o Banco Santander no papel de “Sustainability Coordinator”, na modalidade de Club Deal, contando com a participação de 25 bancos nacionais e internacionais. São eles o Bank of America; o Barclays Bank; o Banco Bilbao Vizcaya Argentaria; o BNP Paribas; o CaixaBank; a Caixa Geral de Depósitos; o Citibank; o Credit Agricole Corporate and Investment Bank; o DBS Bank; o Deutsche Bank; o HSBC; o ING Bank; o Intesa Sanpaolo; o J.P. Morgan; o Mediobanca; o Banco Comercial Português; o Mizuho Bank;  o MUFG;  o NatWest Markets; o Banco Santander; o SMBC Bank; o Société Générale; o UniCredit Bank, enquanto “Bookrunners & Mandated Lead Arrangers”, e Goldman Sachs Bank e Morgan Stanley Bank, enquanto “Mandated Lead Arrangers”.

O MUFG (Bank of Tokyo Mitsubishi) atua também como Agente.

“Esta linha permite um maior alinhamento da estratégia financeira com a estratégia de sustentabilidade e reforça o compromisso da EDP com a descarbonização e com aspetos materiais da sua estratégia, nomeadamente o combate às alterações climáticas e a promoção de energias renováveis”, conclui a EDP.

Recomendadas

Grupo da transportadora aérea Sevenair aumenta receitas devido aos cursos de piloto

A Sevenair Academy viu o EBITDA fixar-se ligeiramente acima dos 2 milhões de euros no ano passado.

Sérgio Figueiredo contratado para consultor de Fernando Medina

O contrato estende-se por dois anos e Sérgio Figueiredo deverá receber um ordenado equiparado ao de um ministro.

SINTAC reúne com DGERT e ANA/VINCI para discutir serviços mínimos a assegurar agosto

Em causa estão ainda outras medidas defendidas pelo sindicato, desde o aumento de salários, para fazer face à inflação, até ao reforço dos recursos humanos.
Comentários