EDP e China Three Gorges atualizam parceria estratégica ao fim de 10 anos (com áudio)

Em dezembro de 2011, na oitava fase de privatização da EDP, que a CTG comprou 21% da EDP, firmando então uma “parceria estratégica para promover a cooperação entre as duas partes e regular potenciais conflitos de interesses”. Esta parceria foi agora atualizada num momento marcado “pela forte aposta na transição energética”.

O grupo EDP e a China Three Gorges (CTG) renovaram a sua parceria estratégica ao final de 10 anos e entrada da empresa chinesa no capital da elétrica portuguesa.

Foi em dezembro de 2011, na oitava fase de privatização da EDP, que a CTG comprou 21,35% da EDP (agora detém 19,03%), firmando então uma “parceria estratégica para promover a cooperação entre as duas partes e regular potenciais conflitos de interesses”.

Em 2017, a empresa chinesa reforçou a sua participação na EDP para 23,26% investindo 208 milhões de euros, mas tem vindo a reduzir a sua participação desde então, depois de a Oferta Pública de Aquisição (OPA) lançada pela CTG ter falhado em 2019.

A EDP destaca vários “marcos importantes” desta parceria: (i) o suporte financeiro, por parte da CTG, durante a crise de dívida soberana na Europa, permitindo o fortalecimento do balanço da
EDP, (ii) a cooperação e partilha de capacidades no desenvolvimento de diversas oportunidades de crescimento, nomeadamente em co-investimentos em centrais hidroeléctricas na América Latina e (iii) iniciativas conjuntas na investigação e desenvolvimento de novas tecnologias”.

A elétrica portuguesa acrescenta que “considerando o posicionamento cada vez cada vez mais global de ambas as empresas e, em particular, a recente entrada da EDP no mercado asiático, foi acordado entre a EDP e a CTG actualizar os termos da parceria estratégica. A actualização da parceria será regida por um acordo revisto a celebrar entre a CTG e a EDP, com vigência a partir da presente data”.

“O âmbito desta atualização, que considera o atual contexto do sector marcado pela forte aposta na transição energética, visa flexibilizar as estratégias de crescimento de ambas as empresas, assegurando a aplicação dos mais exigentes padrões de governo societário nas suas relações futuras e desenvolvendo instrumentos de cooperação e de partilha de boas práticas, de modo a potenciar a maximização de valor para ambas as empresas e seus acionistas”, pode-se ler no comunicado da EDP que não revela mais detalhes sobre esta parceria.

Recomendadas

Emissão obrigacionista da Sonangol é “bem vinda” para a bolsa angolana

Segundo o responsável do Departamento de Desenvolvimento de Mercado da Bodiva, Nivaldo Matias, a iniciativa da Sonangol ainda não foi dada a conhecer formalmente à instituição, contudo, a decisão da petrolífera é “bem-vinda”.

Novabase suspende programa de recompra de ações

A tecnológica já tinha suspendido o programa em junho, tendo depois voltado a retomá-lo. Segundo informação publicada nessa altura, o programa estava previsto durar até 31 de dezembro de 2023.

Trabalhadores da Autoeuropa rejeitam pré-acordo laboral que previa aumento de 5,2%

Dos mais de cinco mil trabalhadores da fábrica de automóveis da Volkswagen, em Palmela, no distrito de Setúbal, só 3.865 exercerem o direito de voto, 2.007 dos quais votaram contra o pré-acordo e 1.826 a favor. Houve ainda 10 votos nulos e 22 brancos.
Comentários