EDP e Microsoft parceiras na Inovação

A EDP e a Microsoft Portugal vão desenvolver, em conjunto, um Programa de Inovação. O objetivo é desenvolver soluções de negócio que fomentem uma utilização energética mais eficiente e novas plataformas interativas relacionadas com a experiência do consumidor, refere informação disponibilizada pelas empresas. Além deste objetivo, o memorando de entendimento firmado esta terça-feira visa criar […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A EDP e a Microsoft Portugal vão desenvolver, em conjunto, um Programa de Inovação. O objetivo é desenvolver soluções de negócio que fomentem uma utilização energética mais eficiente e novas plataformas interativas relacionadas com a experiência do consumidor, refere informação disponibilizada pelas empresas. Além deste objetivo, o memorando de entendimento firmado esta terça-feira visa criar sinergias com uma vasta rede de parceiros e clientes a nível mundial.

O Programa de Inovação deverá ficar sedeado nas instalações da EDP e resulta de um investimento equivalente de ambas as empresas.

Uma das prioridades do acordo é o desenvolvimento de novas ofertas para os consumidores particulares e empresariais. Outra área de aposta são as startups do setor energético, com o objetivo de encorajar o desenvolvimento de produtos e serviços em áreas estratégias.

O objetivo é igualmente reforçar o processo de transformação nas formas de trabalhar e colaborar no grupo EDP, dinamizando os cenários de mobilidade para a sua força de trabalho, ao mesmo tempo que simplifica todos os processos de negócio e se identificam cenários onde o cloud computing mais contribui para o sucesso do negócio e eficácia da operação.

Este “Programa de Inovação” deverá utilizar as ferramentas de cloud computing da Microsoft para, em conjunto se desenvolverem, provas de conceito que a EDP deverá utilizar para desenhar, testar e construir soluções novas e diferenciadoras, e relevantes para o mercado.

Por outro lado, a Microsoft compromete-se também a partilhar em primeira mão com a EDP todas as novidades sobre os seus produtos e eventos que possam ter impacto no setor da energia, bem como a dar visibilidade aos projetos mais relevantes que daqui resultarem junto dos seus clientes e parceiros.

João Couto, diretor geral da Microsoft Portugal, acredita que “esta parceria trará um impacto muito positivo para o setor [da energia] e, consequentemente, para a economia nacional, criando novas oportunidades de colaboração à escala global, permitindo processos e modelos de negócio mais eficientes e o desenvolvimento de soluções tecnológicas inovadoras, que seja também geradoras de mais investimento para o País”.

Por seu lado, António Mexia, presidente executivo da EDP refere que “num contexto em que o negócio da energia está em profunda transformação, a nível global, com as novas tecnologias a alterarem de forma radical as fronteiras do negócio, é essencial que as empresas se mantenham na linha da frente da discussão e da investigação. Este sector que esteve muito tempo focado na gestão de ativos, é hoje também um gestor de relações, em particular com os clientes. Queremos ser um exemplo para a sociedade portuguesa: com investimento, com criação de emprego e com criação de novas oportunidades para o desenvolvimento dos vários sectores do nosso país.”

OJE

Recomendadas

Banco de Fomento lança consulta pública para dois novos Programas de co-investimento em PME

Estando ainda disponível o montante de 475 milhões de euros para lançar novos Programas, “o BPF convida as empresas e todos os interessados a participar na consulta pública acerca de futuras soluções de capital e quase capital, com o objetivo de obter contributos sobre as condições de dois Instrumentos Financeiros pré-estruturados destinados a fomentar a constituição de empresas e/ou capitalização empresarial”, revela o banco liderado por Ana Carvalho.

Premium“Somos a ótica das pessoas e que traz o know how francês”, diz CEO do grupo MonOpticien

Em entrevista ao JE, o CEO do grupo MonOpticien, Florent Carriére, explica o modelo de subscrição que traz para Portugal. “O meu concorrente não é a Multióticas, é a a Netflix e o Spotify”, sublinha.

Bancos da zona euro devolvem antecipadamente 447,5 mil milhões ao BCE

Este montante vem juntar-se aos quase 300 mil milhões de euros que foram reembolsados antecipadamente em 23 de novembro.