EDP e UVE lançam manual para simplificar a adesão à mobilidade elétrica

“A partir de hoje, está disponível um manual de boas práticas que pretende responder às principais dúvidas dos condutores quando decidem aderir a esta forma de mobilidade sustentável”, refere a EDP que apresentou o documento no Portugal Mobi Summit.

A EDP e a Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos (UVE) “uniram-se em mais uma iniciativa para promover a adesão à mobilidade elétrica em Portugal”, refere a empresa de eletricidade numa nota enviada à imprensa.

“A partir de hoje, está disponível um manual de boas práticas que pretende responder às principais dúvidas dos condutores quando decidem aderir a esta forma de mobilidade sustentável”, acrescenta a nota da EDP.

Este manual foi apresentado esta quarta-feira pela presidente da EDP Comercial, Vera Pinto Pereira, na quinta edição do Portugal Mobi Summit, o evento de referência sobre mobilidade sustentável do qual a EDP é o patrocinador principal.

Este manual “aborda as especificidades de carregamento de um elétrico, uma realidade distinta de abastecer um carro a combustão, mas que é cada vez mais rápida, completa e cómoda. Ao longo de oito capítulos, são também elencadas as diferenças no carregamento público e privado, explicadas as diferentes autonomias disponíveis no mercado e quais são as melhores práticas para prolongar a vida das baterias”, refere a empresa.

 

Recomendadas

Fitch Rating antecipa ano desastroso para o sector imobiliário

Os países que preferiram as taxas variáveis e permitiram um forte aumento do preço das casas estão especialmente vulneráveis à inflação e à queda da procura. Portugal não faz parte do estudo, mas tem tudo para fazer parte do pior cenário.

Revolut nomeia Elisabet Girvent para responsável de vendas em Espanha e Portugal

O seu objetivo passa por continuar a expandir os serviços da Revolut Business na região. A Revolut Business é o serviço bancário empresarial da Revolut. Esta solução encontra-se em funcionamento desde 2017 e foi concebida para atender às necessidades de start-ups, PME familiares e grandes empresas tecnológicas.

Noção de mercados emergentes na banca está morta, diz McKinksey. Ásia concentra crescimento

Os bancos na Ásia-Pacífico podem ganhar com uma perspectiva macroeconómica mais forte, enquanto que os bancos europeus enfrentam uma perspectiva mais sombria. “No caso de uma longa recessão, estimamos que a rendibilidade dos bancos a nível mundial possa cair para 7% até 2026 e para baixo dos 6% nos bancos europeus”, diz a Mckinsey.
Comentários