EDP interessada no primeiro leilão de eólica ‘offshore’

O presidente executivo da EDP, Miguel Stilwell d’Andrade, afirmou esta quinta-feira que o grupo está interessado em “analisar e participar” no primeiro leilão de energia eólica ‘offshore’ (no mar) em Portugal, que deverá ocorrer em 2023.

“Nós investimos muito em ‘offshore’ pelo mundo fora, na Escócia, em França, nos EUA. Não há ainda detalhe concreto em relação a Portugal, mas obviamente estamos disponíveis para analisar e participar”, afirmou Miguel Stilwell d’Andrade aos jornalistas, quando questionado sobre o adiamento do primeiro leilão de energia eólica ‘offshore’ para 2023.

O presidente executivo da EDP, que liderou a cerimónia de apresentação do novo logótipo do grupo, em Lisboa, considerou “perfeitamente compreensível que [o leilão] passe para 2023, porque são “processos complexos”.

“Cá estaremos depois para analisar”, disse o CEO da EDP, depois de na terça-feira o secretário de Estado da Energia, João Galamba, ter anunciado na feira industrial Hannover Messe, na Alemanha, que o leilão de energia eólica ‘offshore’ “vai acontecer o mais rapidamente possível e vai ser grande, com uma capacidade mínima entre 6 e 8 GW”.

Recomendadas

SATA prevê saída de 150 trabalhadores até final de 2023 através de rescisões negociadas

Cerca de 100 trabalhadores já saíram da companhia aérea açoriana SATA desde que foi lançado o primeiro programa de rescisões, em 2020.

Empresas TVDE criaram mais de sete mil empregos em seis anos

Entre 2013, ano anterior ao lançamento da operação da Uber em Portugal, e 2019, o número de empresas no sector (plataformas de transportes de passageiros) cresceu 71%.

Há 45 anos foi vendida a primeira Coca-Cola em Portugal

Foi a 4 de julho de 1977, num café na Baixa de Lisboa. “Não só faz parte da história do país como contribui ativamente para a economia nacional. Por cada euro que é gasto em Coca-Cola, 81 cêntimos permanecem em Portugal”, diz Rui Serpa, diretor em Portugal da Coca-Cola Europacific Partners.
Comentários