EDP junta-se a 86 multinacionais e assina compromisso para reduzir emissões poluentes

A elétrica portuguesa junta-se assim a um grupo de multinacionais, incluindo Vodafone, Nestlé e Unilever, com o objetivo de diminuir o impacto das emissões poluentes no mundo.

Cristina Bernardo

A EDP juntou-se a 86 multinacionais para assinar um compromisso com o objetivo de reduzir emissões de forma a garantir que o aquecimento global não excede 1,5 graus centígrados.

O compromisso ‘Business Ambition for 1,5ºC – Our Only Future’ vai ser assinado esta segunda-feira, 23 de setembro, em Nova Iorque na semana em que decorre a cimeira do clima das Nações Unidas, naquela cidade norte-americana.

A elétrica portuguesa junta-se assim a um grupo de multinacionais, incluindo Vodafone, Nestlé e Unilever, com o objetivo de diminuir o impacto das emissões poluentes, segundo comunicado divulgado hoje pela EDP.

“Precisamos de ser mais ambiciosos e de fazer mais, trabalhando em conjunto, empresas e governos. Na EDP há muito que percebemos que a descarbonização tem de ser vista como uma oportunidade e que a eletrificação é a principal medida para garantir esta transição indispensável. Se há dez anos já tínhamos targets ambiciosos de redução de emissões, agora reforçamos essa ambição”, disse o presidente executivo da EDP, António Mexia, em comunicado.

As 87 empresas aceitaram o repto lançado em junho pelas Nações Unidas através de uma carta aberta dirigida a comunidade empresarial. A organização liderada por António Guterres pediu aos líderes empresariais para definirem objetivos ambiciosos para suster o aumento da temperatura global em 1,5 graus centígrados, em sintonia com as recomendações do relatório de 2018 do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC).

Recomendadas

EDP emite 500 milhões de dólares de ‘green bonds’ a 5 anos

Esta emissão destina-se ao financiamento (ou refinanciamento) do portfólio de projetos renováveis elegíveis da EDP, anuncia a empresa.

Metro de Lisboa tem um novo Provedor do Cliente e é o ex-ministro Vieira da Silva (com áudio)

Vieira da Silva foi eleito Provedor do Cliente do Metro de Lisboa, mas é “um contrato de prestação de serviço não remunerado”. O mandato é de um ano, renovável sucessivamente por iguais períodos.

“Nem eu nem a FPF quisemos criar esquema para iludir a AT”. Fernando Santos perde processo contra o fisco

Fernando Santos pretendia a anulação de liquidação de IRS no valor de 4,5 milhões de euros, verba relativa aos anos 2016 e 2017 mas viu o seu pedido indeferido no recurso que colocou junto do Centro de Arbitragem.
Comentários