EDP avaliou mas decidiu não fazer oferta por empresa no Brasil (com áudio)

Segundo a “Reuters”, estão na corrida a italiana Enel, a Neoenergia, controlada pela espanhola Iberdrola, e a CPFL Energia, controlada pela China State Grid. Também as brasileiras Energisa e Equatorial Energia estão a analisar o negócio.

O grupo EDP avaliou uma empresa avaliada em quase dois mil milhões de euros no Brasil, mas decidiu não avançar para a sua compra.

“A EDP decidiu não participar no processo em curso desenvolvido pela Enel para alienação da referida empresa”, disse fonte oficial da empresa ao JE.

Segundo revelou a “Reuters”, a elétrica portuguesa era uma das companhias que estavam na corrida à empresa de distribuição de eletricidade brasileira Celg-D. Também estão na corrida a italiana Enel, a Neoenergia, controlada pela espanhola Iberdrola, e a CPFL Energia, controlada pela China State Grid. Também as brasileiras Energisa e Equatorial Energia estão a analisar o negócio.

A distribuidora, controlada pela italiana Enel, conta com 3,27 milhões de clientes no estado de Goiás, está valorizada em 2,14 mil milhões de dólares, incluindo dívida e um capital próprio de cinco mil milhões de reais.

O negócio pode superar os dois mil milhões de dólares (1,9 mil milhões de euros), segundo quatro fontes consultadas pela “Reuters”.

A Enel pagou 2,1 mil milhões de reais em 2016 à Centrais Eletricas Brasileiras para comprar a Celg-D, que se encontra entre as distribuidoras com pior qualidad de serviço, segundo o ranking anual do regulador Aneel.

  • Notícia atualizada às 16h23 de 29 de abril: fonte oficial da EDP disse que a empresa não apresentou uma oferta pela Celg-D.
Recomendadas

Amazon abriu uma loja física para vender roupa

A loja Amazon Style, localizada em Los Angeles, aposta em inteligência artificial e outras tecnologias para ajudar os clientes a encontrarem o que procuram.

À procura de emprego? Beevo vai contratar 30 profissionais qualificados em tecnologia

A empresa tecnológica de Braga pretende recrutar gestores de projetos, designers, engenheiros Web, especialistas em SEO/SEM e “pensadores digitais”.

Novo Banco terá de cumprir requisitos de capital e passivos elegíveis de 23,16% em 2026

A instituição bancária indicou que foi notificada pelo Banco de Portugal relativamente aos requisitos de MREL (‘Minimum Requirement for own funds and Eligible Liabilities’), em base consolidada, conforme decisão do Conselho Único de Resolução”.
Comentários