EDP Renováveis faz contratos de 20 anos nos EUA para venda de certificados de energia

A EDP Renováveis (EDPR) anunciou hoje que assegurou dois contratos de longo prazo nos Estados Unidos da América, com a duração de 20 anos, para venda de certificados de energia. “A EDP Renováveis, S.A., através da sua subsidiária EDP Renewables North America LLC, assegurou dois contratos de longo prazo com a New York State Energy […]

A EDP Renováveis (EDPR) anunciou hoje que assegurou dois contratos de longo prazo nos Estados Unidos da América, com a duração de 20 anos, para venda de certificados de energia.

“A EDP Renováveis, S.A., através da sua subsidiária EDP Renewables North America LLC, assegurou dois contratos de longo prazo com a New York State Energy Research and Development Authority (NYSERDA), para a venda de certificados de energia renovável (Renewable Energy Credits), anuncia a empresa em comunicado enviado hoje à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Segundo a nota, os contratos têm duração de 20 anos e compreendem um total de 155 MW de nova capacidade, com data prevista de instalação em 2017, no Estado de Nova Iorque.

Estes acordos, sublinha a empresa, “estão sujeitos a uma nova extensão do programa de incentivos fiscais associados à produção de energia”.

O esquema atual de incentivos fiscais, assinado em Janeiro de 2013, “permite que projetos eólicos que tenham iniciado construção até 01 de Janeiro de 2014 sejam beneficiados pelo programa de 10 anos de créditos fiscais associados à produção de energia ($23/MWh)”, lê-se na informação publicada na página de da CMVM na Internet.

A EDPR afirma que a realização destes acordos irá aumentar a visibilidade e reforçar o perfil de baixo risco do seu plano de negócios para o período de 2014-17, “com mais de 90% das adições de capacidade no período baseadas em projetos com contratos de longo prazo ou tarifa feed-in garantida”.

OJE/Lusa

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

Bruxelas favorável a limite de preço para gás russo

“A Europa enfrenta a chantagem energética da Rússia, e a procura global de gás é mais elevada do que a oferta. Precisamos de trabalhar ao longo de toda a cadeia para enfrentar o desafio. Primeiro, temos de agir no ponto em que o gás entra no nosso mercado. Estamos a negociar com os nossos fornecedores fiáveis de gás de gasoduto. Se isto não trouxer resultados, então é possível um preço máximo”, declarou a comissária.

Governo reconhece necessidade de “valorizar salários” e espera acordo na Concertação Social

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares discursava no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, no âmbito da conferência “Em nome do futuro: os desafios da juventude”, organizada pela Santa Casa da Misericórdia e pela Rádio da Renascença.