EDP selecionada para lista europeia de projetos estratégicos de hidrogénio

Entre as empresas selecionadas, a EDP destacou-se com o maior número de projetos, os três em Espanha: nas centrais térmicas de Aboño (Astúrias), de Los Barrios (Cádiz) e em Teruel (Aragão), através do projeto IAM Caecius. Estes projetos visam testar e promover a produção de hidrogénio verde, envolvendo uma capacidade total de 225 MW em eletrolisadores.

A Comissão Europeia classificou três projetos da EDP como sendo estratégicos para a transição energética e entre as 29 empresas selecionadas, a EDP destacou-se com o maior número de projetos, os três em Espanha. A saber, “nas centrais térmicas de Aboño (Astúrias), de Los Barrios (Cádiz) e em Teruel (Aragão), através do projeto IAM Caecius”.

Estes projetos visam testar e promover a produção de hidrogénio verde, envolvendo uma capacidade total de 225 MW (megawatts) em eletrolisadores, diz a EDP.

Esta seleção da Comissão Europeia vem assim reforçar os planos de transição energética que a EDP já tem em curso na Península Ibérica, através da reconversão das suas centrais térmicas em centros de produção de energia renovável, hidrogénio verde, armazenamento de energia e flexibilidade do sistema elétrico.

A seleção foi feita no âmbito do IPCEI Hy2Use, e envolve um total de 35 projetos. O objetivo é promover o desenvolvimento da produção de hidrogénio verde na Europa.

“Temos de ser ambiciosos e ágeis nesta aposta e os apoios agora aprovados são um incentivo decisivo para que se possa dar o salto em larga escala nesta tecnologia inovadora”, considera Miguel Stilwell d’Andrade, presidente executivo da EDP.

“É também um sinal muito positivo da Comissão Europeia no seu compromisso com a inovação e a descarbonização. Sendo a EDP uma das 29 empresas selecionadas, com três projetos de transição energética que envolvem uma forte aposta em hidrogénio verde, continuaremos a dar um importante contributo para que a Europa cumpra a ambição de ser o primeiro continente a atingir a neutralidade carbónica até 2050”, reforça.

Segundo o comunicado, os planos da empresa para Aboño incluem, em concreto, a transformação da atual central de produção térmica no vale asturiano de hidrogénio verde, com 100 MW de eletrolisadores – uma capacidade que pode ser posteriormente reforçada.

Também na central térmica de Los Barrios, a EDP planeia instalar 100 MW de eletrolisadores e reconverter aquela localização num centro de energia verde.

Ambas as iniciativas permitirão o fornecimento de energia limpa a grandes indústrias nas Astúrias e na região do Campo de Gibraltar.

A EDP também está a trabalhar no projeto IAM Caecius, em Teruel (Aragão), com 25 MW de eletrolisadores, que faz parte dos planos de utilizações inovadoras de hidrogénio verde.

“Todos estes projetos estão totalmente alinhados com a estratégia de transição energética da EDP, que pretende abandonar a produção a carvão até 2025 e atingir a neutralidade carbónica e ser 100% verde até 2030”, reforça a empresa.

Para concluir a EDP lembra que, de acordo com a informação divulgada pela Comissão Europeia, os 35 projetos selecionados, incluindo os da EDP, são “muito ambiciosos”, uma vez que visam desenvolver tecnologias e infraestruturas que vão além do que está atualmente disponível no mercado.

Além disso, reconhecem que ainda existem riscos tecnológicos e financeiros para as empresas no desenvolvimento desta tecnologia, pelo que o apoio público é fundamental para proporcionar incentivos para que as empresas realizem esses investimentos.

 

Recomendadas

EDP emite 500 milhões de dólares de ‘green bonds’ a 5 anos

Esta emissão destina-se ao financiamento (ou refinanciamento) do portfólio de projetos renováveis elegíveis da EDP, anuncia a empresa.

Metro de Lisboa tem um novo Provedor do Cliente e é o ex-ministro Vieira da Silva (com áudio)

Vieira da Silva foi eleito Provedor do Cliente do Metro de Lisboa, mas é “um contrato de prestação de serviço não remunerado”. O mandato é de um ano, renovável sucessivamente por iguais períodos.

“Nem eu nem a FPF quisemos criar esquema para iludir a AT”. Fernando Santos perde processo contra o fisco

Fernando Santos pretendia a anulação de liquidação de IRS no valor de 4,5 milhões de euros, verba relativa aos anos 2016 e 2017 mas viu o seu pedido indeferido no recurso que colocou junto do Centro de Arbitragem.
Comentários