EDP vende 48 milhões de euros do défice tarifário em Portugal

Elétrica nacional anunciou que vai vender mais défice tarifário, desta vez são 48 milhões de euros de défice tarifário de 2015.

“A EDP Serviço Universal, comercializador de último recurso do sistema eléctrico português, detido a 100% pelo Grupo EDP, acordou hoje a venda de 48 milhões de euros do défice tarifário de 2015, relativo ao sobrecusto com a produção em regime especial”, diz a empresa liderada por António Mexia.

“O défice tarifário de 2015 resultou do diferimento por 5 anos da recuperação do sobrecusto de 2015 com a aquisição de energia aos produtores em regime especial (incluindo os ajustamentos de 2013 e 2014)”. Esta aquisição foi feita por um preço superior ao praticado no mercado, suportado pelos consumidores finais, na fatura da eletricidade.

O défice tarifário é sempre o resultado da decisão política de não permitir que num ano os preços da electricidade reflictam os seus custos, limitando o aumento dos preços a um tecto administrativo e adiando a factura para os consumidores futuros pagarem com juros.

Recomendadas

TAP: Sindicato fala em adesão total à greve de tripulantes até às 08:30

“O balanço é prematuro, uma operação da TAP inicia-se por volta das 05:30 da manhã, o que sabemos até à data é que nenhum voo saiu sem ser serviços mínimos ou Portugália, portanto até agora a adesão é total”, disse à Lusa o presidente do SNPVAC, Ricardo Penarroias, no aeroporto de Lisboa, cuja operação, às primeiras horas da manhã, funcionava dentro da normalidade.

Ocean Winds vence leilão e vai desenvolver projeto eólico offshore flutuante até 2 GW na Califórnia

A Ocean Winds – um consórcio da EDP Renováveis e da francesa Engie – e o Canada Pension Plan Investment Board vão desenvolver um projeto eólico offshore ao largo da costa central da Califórnia, comunicou esta manhã a EDP à CMVM. Em causa está uma licença com direitos de gestão de 32,5 mil hectares naquela área.

EDP conclui venda da central hidroeléctrica de Mascarenhas no Brasil

Com esta transação, a EDP reduz o peso da geração convencional e, nomeadamente, da exposição hídrica no Brasil, em linha com o plano estratégico 2021-2025 apresentado ao mercado em fevereiro de 2021.
Comentários