Eduardo Cabrita fora da corrida à liderança da Frontex

O ex-ministro da Administração Interna não consta da lista dos três finalistas para liderar a Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira, avança a Renascença. Em causa está um “fraco empenho” da diplomacia portuguesa.

O ex-ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, está fora da corrida à liderança da Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira (Frontex). A notícia avançada esta quarta-feira pela Renascença refere que o ex-governante não consta da lista dos três finalistas devido a um “fraco empenho da diplomacia portuguesa”.

Cabrita tinha-se candidato ao cargo de diretor-executivo da agência em julho deste ano. Três meses depois, o nome do ex-ministro está fora da mesa.

O processo de recrutamento foi iniciado em abril e, além dos três finalistas hoje conhecidos, contemplava Eduardo Cabrita e um outro candidato. Ao todo, cinco.

Recomendadas

Presidente de Taiwan falha estratégia de usar a China como ameaça

Tsai Ing-wen renunciou ao cargo de líder do Partido Democrático Progressista depois de a sua estratégia de enquadrar as eleições locais como uma demonstração de desafio à China não ter conquistado o eleitorado.

NATO Industrial Advisory reúne com a indústria da defesa em Gaia

Órgão consultivo e de assessoria de alto-nível que atua como foco e porta-voz das indústrias e das associações nacionais de defesa e segurança junto da NATO, reúne de 28 a 30 de novembro com 51 entidades de 25 países.

Obiang reeleito Presidente da Guiné Equatorial com 94,9% dos votos

O presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, ganhou as eleições presidenciais com 94,9%, anunciou a Junta Eleitoral Nacional, pelo que avança para o sexto mandato de sete anos. A oposição queixa-se de fraude generalizada.
Comentários