Efacec lidera consórcio para desenvolver soluções para a ferrovia

O projeto Ferrovia 4.0 envolve um investimento na ordem dos oito milhões de euros, teve início no final de 2020 e tem data de conclusão agendada para junho de 2023.

A Efacec lidera o consórcio Ferrovia 4.0 que visa o desenvolvimento de soluções inovadoras para o mercado ferroviário, anuncia a empresa liderada por Ângelo Ramalho em comunicado.

O projeto Ferrovia 4.0 envolve um investimento na ordem dos oito milhões de euros, teve início no final de 2020 e tem data de conclusão agendada para junho de 2023.

“A Efacec é líder do projeto Ferrovia 4.0, cofinanciado pelo Compete 2020, Lisboa 2020, Portugal 2020 e pela União Europeia (Fundos Europeus Estruturais e de Investimento), que tem como objetivo global desenvolver diferentes componentes, ferramentas e sistemas a serem testados em veículos e infraestruturas reais, que aumentem a competitividade, a qualidade e a segurança do serviço de transporte ferroviário”, refere o comunicado.

O projeto “pretende endereçar, de forma integrada, os desafios tecnológicos e de mercado que se têm colocado ao setor ferroviário global, dinamizando uma ação coletiva mobilizadora em torno de empresas e entidades do Sistema de I&I que integram o Cluster da Plataforma Ferroviária Portuguesa, na realização de atividades de inovação e de investigação industriais”, refere a Efacec.

A Efacec atua como fornecedor de soluções e de sistemas integrados EPC (Engineering, Procurement and Construction) e parceiro de serviços O&M (Operations & Maintenance).

“O Ferrovia 4.0 é liderado pela Efacec e está a ser desenvolvido no seio da Plataforma Ferroviária Portuguesa e em parceria com várias empresas e entidades de Investigação, tais como AlmaDesign, Evoleo, FEUP, INEGI, ISEL, ISEP, ISQ, Instituto Politécnico do Porto, IST, IT, ITECONS, IP, LNEC, Mota-Engil, MCG, Nomad Tech, Solvit, Universidade de Coimbra, Universidade do Minho, e em colaboração com a INOVA+”, lê-se na nota.

Para Paulo Paixão, coordenador global do Ferrovia 4.0, diz em “com este projeto ambiciona-se o desenvolvimento de soluções que potenciem a sustentabilidade económica e ecológica do sistema ferroviário, destacando-se, na colaboração específica da Efacec, a redução de custos operacionais e de manutenção, assentes no desenvolvimento e disponibilização de sistemas de informação fiáveis de apoio à decisão e capazes de monitorizar a infraestrutura e o material circulante, desencadeando alertas e medidas na presença de eventos críticos de segurança”.

O consórcio estará representado na feira Hannover Messe2022 que decorre em abril e, também, na Feira mundial de Transportes Innotrans2022, que será realizada em Berlim, em setembro.

 

Recomendadas

PremiumContrato que prevê bónus milionário da CEO da TAP não é válido

JE revela contrato de Christine Ourmières-Widener: prevê exercício de funções até 2026 e bónus de até três milhões de euros. Mas não chegou a ser ratificado em AG da TAP.

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.

Contrato da CEO da TAP: “Não é só falta de retificação, é falta de aprovação”

O advogado Rogério Alves reagiu à notícia avançada pelo Jornal Económico. O contrato de Christine Ourmières-Widener com a TAP não só não foi retificado em AG como não foi aprovado. “Isto politicamente tem um custo”, diz.
Comentários