“Eficaz, abrangente, oportuno e prudente”: assim caracteriza Medina o pacote de combate à inflação

O ministro das Finanças enquadrou as oito medidas apresentadas na segunda-feira numa resposta mais prolongada à evolução de preços, recordando políticas como o AutoVoucher ou as alterações no preço dos combustíveis, e sublinhou que este é o programa “mais abrangente” que se conhece no país.

Fernando Medina reforçou a eficácia, sentido de oportunidade, abrangência e prudência das oito medidas apresentadas pelo Governo para combater os efeitos da inflação em Portugal, sublinhando que este é um pacote que inclui a vasta maioria dos portugueses e que se foca sobretudo na devolução de rendimentos.

O ministro das Finanças tratou de explicar as medidas apresentadas no dia anterior por António Costa, onde se destaca a atribuição de um cheque de 125 euros a cada português que aufira menos de 2.700 euros brutos mensais em outubro ou a fixação de um limite de 2% na atualização das rendas para 2023.

Medina repetiu por diversas vezes que este é um plano eficaz, oportuno no tempo, abrangente e prudente, garantindo que é a resposta certa no momento certo para a subida generalizada de preços que se verifica na economia nacional.

“Este é o programa mais vasto, do ponto de vista da abrangência, que é conhecido ou foi realizado no nosso país”, destacou, lembrando que, ao contrário de outros pacotes, inclui as pessoas mais desfavorecidas, mas também a classe média, abrangendo “a latíssima maioria da população”.

Acresce a isto a abrangência nas soluções, ao tocar em “áreas de preocupação das famílias”, e a prudência em termos orçamentais, já que não aumenta as necessidades de financiamento da República no médio-prazo e, como tal, não desvia o Estado dos seus objetivos de dívida pública e défice. Recorde-se que as oito medidas apresentadas estão orçamentadas em 2,4 mil milhões de euros.

O ministro das Finanças recordou também que o programa se inclui numa resposta prolongada pelo tempo ao fenómeno de preços, revisitando medidas passadas como o AutoVoucher ou os ajustes ao cálculo do IVA que incide sobre o ISP.

Relacionadas

Descida do IVA da eletricidade afeta “mais de 85% dos consumidores”, diz Medina (com áudio)

A medida vai ter um custo total de 90 milhões de euros e aplica-se a consumidores com potência inferior a 6,9 kVa. Mudança das famílias para o mercado regular significa uma redução na receita fiscal de 112 milhões de euros.

2,7 milhões de pensionistas vão receber bónus em outubro (com áudio)

Cerca de 2,7 milhões de pensionistas vão receber o suplemento anunciado pelo Governo para outubro, que equivalerá a 50% da pensão. Bónus será pago uma única vez e implicará a limitação das atualizações automáticas de janeiro de 2023.

Congelamento dos preços dos transportes vai permitir poupança de 8% para os contribuintes (com áudio)

“É a continuação da politica de não aumento dos passes urbanos, que agora é estendida à CP nos serviços regionais e de longo serviço, isto é a todo o sistema”, destaca o ministro das Finanças, Fernando Medina. A medida faz parte do plano de apoio às famílias anunciado na segunda-feira.

Limite à atualização das rendas “não procura o regresso a um passado de má memória”, garante Medina

O ministro das Finanças procurou tranquilizar os proprietários, argumentando que a situação atual requer alguma solidariedade, mas descartando retrocessos a nível de política de habitação.
Recomendadas

OE2023. Maioria dos empresários defende mexidas no IRS

Inquérito da consultora EY conclui que mais de 90% dos empresários defende alterações no IRS para mitigar efeitos da inflação – essencial para suportar o consumo privado. Empresas continuam a dar nota negativa ao sistema fiscal português e face à crise energética sinalizam como medidas prioritárias a descida do IRC e do IVA sobre todos os escalões de consumo de eletricidade consideradas.

OE2023: Conselho de Ministros extraordinário discute documento na terça-feira

O Governo discute em Conselho de Ministros extraordinário na terça-feira a proposta de Orçamento do Estado para 2023, numa reunião que marca o começo do processo de aprovação do documento, que é entregue ao parlamento na segunda-feira.

Mercado Automóvel em Portugal cai 34,7% até setembro

Apesar do mercado automóvel ter caído entre janeiro e setembro, foram matriculados mais 12,8% automóveis no mês passado do que em período homólogo de 2021.
Comentários