Bolsas europeias. Eleições na Catalunha empurram para vermelho

As principais praças europeias abriram a serem arrastadas para terrenos negativos,  depois de serem anunciadas eleições na Catalunha e ainda devido aos investidores reticentes aquando da subida das taxas de juro. Em contra-ciclo, as praças asiáticas estão a recuperar, o que poderá trazer boas notícias para o resto da Europa e inverter a situação actual. […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

As principais praças europeias abriram a serem arrastadas para terrenos negativos,  depois de serem anunciadas eleições na Catalunha e ainda devido aos investidores reticentes aquando da subida das taxas de juro. Em contra-ciclo, as praças asiáticas estão a recuperar, o que poderá trazer boas notícias para o resto da Europa e inverter a situação actual.

O PSI20 acompanha os outros índices europeus, chegando mesmo a apresentar das maiores quedas do dia de hoje. O PSI20 está assim a ser prejudicado pela Jerónimo Martins, Altri, BPI, Mota Engil e Semapa, sendo que estas cotadas chegam mesmo a desvalorizar mais de 2%. O único título a apresentar uma valorização ligeira é o CTT, que por enquanto ainda se aguenta em terreno positivo.

As acções asiáticas subiram na madrugada de terça-feira, a subida deve-se ao dólar que se manteve estável, os mercados dos EUA recuperaram e o Banco Central Europeu disse que estava preparado para facilitar ainda mais a política monetária.

O Índice de acções da Ásia-Pacífico fora do Japão subiu cerca de 0.4%, na Austrália, o índice subiu 0,3% e na Coreia do Sul quase 1%. No entanto, a maioria dos mercados do sudeste asiático recuaram. Os mercados japoneses estão fechadas até quarta-feira.

 

Acções

Novartis – A farmacêutica suscitou interesse à empresa multinacional Roche, mas de acordo com fontes próximas à família Roche não será levada a cabo qualquer tipo de negociação com vista à aquisição. Na sequência deste evento, a Novartis desvalorizou 1.8%.

Total –  a petrolífera está em processo de adaptação à realidade económica actual, realizando para esse efeito uma reestruturação do plano estratégico, que inclui minimização de custos e venda de activos. Com preços mais baixos do petróleo, a empresa terá também novos objectivos de crescimento.

STMicroelectronics –  Um sindicato da empresa referiu que a fabricante de chips estará a estudar um plano de reestruturação que poderá envolver a venda da sua divisão DPG, ou parte da mesma, o que se traduzirá na supressão de 1000 postos de trabalho em França.

Análise técnica e fundamental

 

ÍNDICES

DE30

No seguimento do escândalo das emissões da Volkswagen o sector automóvel segue a pressionar o  índice pelo segundo dia consecutivo. Esta madrugada vamos assistir à divulgação do PMI manufactura na China e a abertura do mercado europeu de quarta-feira irá ficar marcada pelos dados do PMI na Alemanha. Caso os dados saiam abaixo do esperado, podemos assistir a uma nova onda de pressão vendedora no activo. O mínimo de segunda feira deverá ser novamente testado na sessão europeia.

SPA35, 1H – Eleições na Catalunha geram aversão pelo risco

Aproximam-se as eleições na Catalunha e portanto, as preocupações em torno de uma eventual crise política. Assim, apesar da negociação bastante positiva das praças asiáticas, o índice espanhol é dos mais fustigados esta manhã, com fortes quedas a propulsionarem o activo para novos mínimos. Neste momento estamos próximos da zona de suporte dos 9608. Caso este nível seja quebrado, poderemos ver o SPA35 a ser um dos primeiros índices europeus a fazerem mínimos relativos, face a Agosto, nos 9420.

FOREX

Dólar em busca de novos mínimos

O dólar norte-americano teve uma sessão ontem de fortes perdas, suportado essencialmente na especulação de que a Reserva Federal Americana pode rever a taxa de juro directora, no próximo mês de Outubro. No entanto, também em termos técnicos existem fundamentos para o movimento. O activo quebrou o suporte tendencial de curto prazo, que significa que os movimentos curtos são agora muito prováveis. Ainda assim, entrar curto numa zona onde o par cambial reúne muitas ordens compradoras pode não ser a melhor estratégia. O melhor será aguardar por um rebound até testar a linha de tendência de novo e então shortar EUR com vista a ganhos com a queda da divisa.

 

Por Eduardo Silva, gestor da XTB Portugal

 

Recomendadas

PremiumMercados somam e seguem

Índices acionistas encerram em alta em novembro, somando segundo ganho mensal consecutivo.

Wall Street encerra semana apenas com Dow Jones a negociar em terreno positivo

Ao final do dia em Wall Street, o Dow Jones soma 0,10% para 34.429,88 pontos, o S&P 500 perde 0,13% para 4.071,45 pontos e o tecnológico Nasdaq desvaloriza 0,18% para 11.461,50 pontos. 

Euro regista ligeira valorização e segue acima de 1,05 dólares

Lisboa, 02 dez 2022 (Lusa) – O euro subiu hoje ligeiramente e mantinha-se a negociar acima de 1,05 dólares, após a divulgação de números melhores do que o previsto sobre a criação de emprego nos Estados Unidos.