PremiumEleitores dão prioridade à Saúde mas existe um fosso geracional, aponta sondagem

Alívio fiscal é maioritário para quem tem 35 a 49 anos e tem força nos mais jovens e mais qualificados.

O Plano de Melhoria da Resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS), aprovado no Conselho de Ministros extraordinário desta quarta-feira, e que prevê um reforço de 800 milhões de euros para o setor e a contratação de 8.400 trabalhadores ao longo dos próximos anos, já foi acusado pelos partidos da oposição de não passar de uma mera antecipação de receitas, mas o certo é que vai no sentido das prioridades de mais de metade dos portugueses para o Orçamento do Estado para 2020, segundo uma sondagem realizada pela Aximage para o Jornal Económico.

Entre as seis opções colocadas aos entrevistados, a atribuição de mais verbas para a saúde foi apontada por 52,8% dos inquiridos, ficando muito à frente do alívio fiscal para a classe média através da introdução de novos escalões de IRS, possível medida que só é considerada a principal prioridade do Orçamento do Estado que será apresentado na próxima segunda-feira, 16 de dezembro, por 15,2% dos entrevistados, com a atribuição de mais verbas para a educação a ser apontada por 8,3%.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Banco Nacional de Angola desce juros, em contraciclo com os outros bancos centrais

O comité que decide a política monetária angolana justificou a descida dos jurps com a “consistência do abrandamento da evolução de preços na economia nacional, particularmente desde o início do ano, como resultado do contínuo e rigoroso controlo da liquidez, da apreciação do kwanza em relação às principais moedas utilizadas nas transacções com o exterior”.

CAP contesta que tese de que subsídios dados aos agricultores sejam “perversos”

“A temática da água, do seu bom uso e utilização como recurso, é um assunto levado muito a sério pelos agricultores e demasiado importante para se subordinar a declarações falsas e difamatórias de um único responsável”, refere a confederação em resposta a Joaquim Poças Martins.

Goldman Sachs alerta para alastramento da inflação na zona euro e prevê mais 75 pontos nos juros em outubro

A pressão nos preços do bloco da moeda única dá sinais de se alastrar a vários sectores, levando o banco de investimento a rever em alta a sua projeção para a inflação subjacente em 2023. Reunião de outubro do BCE deve trazer nova subida de 75 pontos base, acrescenta.
Comentários