Eletricidade, água e saúde são os setores mais rentáveis em Portugal

Rentabilidade das empresas portuguesas aumentou em 2015.

As empresas portuguesas a atuar nos setores de atividade da eletricidade, água e saúde são as mais rentáveis a nível nacional, segundo um relatório divulgado esta quinta-feira pelo Banco de Portugal. Já as empresas de alojamento e restauração são as que apresentam menores índices de rendibilidade.

O estudo indica que, de uma forma geral, a margem líquida das empresas (que divide o lucro líquido pelo volume de negócios) subiu 3% no último ano, sendo 2 pontos percentuais mais elevada do que em 2014. O sector de electricidade e água manteve em 2015 o valor de margem líquida mais elevada em Portugal, que se situou em 9%, embora tenham sido os sectores de outros serviços e indústria a registar as maiores subidas deste indicador – seis e dois pontos percentuais, respectivamente, ambos para 4%.

Em termos de setor de atividade económica, as áreas de saúde, eletricidade e água destacam-se por serem aquelas em que as empresas apresentam uma rendibilidade mais elevada. Na saúde, a proporção de empresas com melhores desempenhos chegou aos 48,7%, enquanto na área de eletricidade e água, a percentagem chega mesmo aos 53,4%. De acordo com a metodologia utilizada pelo BdP, isto significa que mais de metade das empresas a actuar neste sector integram os 25% das empresas totais em Portugal que registam as rendibilidade mais elevadas.

Do lado oposto da tabela ficam as atividades de comércio e alojamento, classificadas como as menos rentáveis para o mundos dos negócios. No caso do alojamento e restauração, as empresas de rendibilidade reduzida obtiveram um peso de 45%, enquanto o comércio – um dos setores onde se regista um maior número de empresas – registou 22,9% das empresas com classificação menos favorável neste parâmetro.

Já o setor imobiliário, que após a crise dos ‘subprime’ nos EUA em 2008 registou fortes quebras no mercado português, foi igualmente uma das atividades económicas com maior percentagem de empresas com rendibilidade elevada, com 42% das empresas a caírem no grupo que regista maior rentabilidade.

O relatório mostra ainda que durante o ano passado, o número de empresas em atividade em Portugal aumentou cerca de 1%. No total, existiam em Portugal 408 mil sociedades não-financeiras, das quais 89% eram microempresas. Apesar disso, a maior parcela do volume de negócios provinha das grandes empresas (41%), que representam apenas 0,3% do total das sociedades existentes.

Recomendadas

Moldova mantém neutralidade mas irá fortalecer a cooperação com a NATO

A Moldova manterá a neutralidade, mas aprofundará a sua cooperação com a NATO para garantir a sua capacidade defensiva, declarou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros da Moldova, Nicu Popescu.

Espanha e Alemanha reúnem-se em cimeira pela primeira vez desde 2013

Espanha e Alemanha celebram na quarta-feira a primeira cimeira bilateral em nove anos, que coincide com um momento de sintonia entre os dois executivos em projetos como o do gasoduto para ligar a Península Ibérica à Europa central.

CMVM: “É notório o crescimento da divergência dos padrões de poupança das famílias portuguesas”

“A poupança de longo prazo exige disciplina e empenho além de, naturalmente, um nível de rendimento que permita poupar. Esta combinação de condições ajuda a explicar o baixo nível de poupança em Portugal e em outros países que nos são próximos”, reconhece Rui Pinto.
Comentários