Elétricos e autónomos. Eis a visão da Nissan

A Nissan Motor revelou um protótipo de veículo que incorpora a visão da marca sobre o futuro da condução autónoma e dos veículos elétricos de emissões zero


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Após liderar o desenvolvimento e a expansão da tecnologia a nível de veículos elétricos, a Nissan está novamente na vanguarda da tecnologia automóvel. Ao integrar tecnologias avançadas de controlo do veículo e de segurança, com inteligência artificial (IA) topo de gama, a Nissan está entre os líderes no desenvolvimento de aplicações reais de tecnologias de condução autónoma.

Em agosto de 2013, Carlos Ghosn afirmou que, até 2020, a Nissan planeia equipar diversos veículos com uma inovadora tecnologia de condução autónoma. O progresso feito pela companhia desde então indica que está no bom caminho para atingir este objetivo.

A NID – Nissan Intelligent Drive (Condução Inteligente Nissan) designa o conceito abrangente desenvolvido pela Nissan em tecnologia de condução autónoma e representa aquilo em que a marca acredita que os veículos da próxima geração se devem tornar. “A Condução Inteligente Nissan melhora a capacidade de um condutor para ver, pensar e reagir. Compensa o erro humano, que provoca mais de 90% de todos os acidentes de viação. Consequentemente, o tempo passado atrás do volante é mais seguro, limpo, mais eficiente e mais divertido”, continuou Ghosn.

Alguns compararam um futuro com condução autónoma com viver num mundo de cintos transportadores, que simplesmente levam as pessoas do ponto A ao ponto B, mas o Nissan IDS promete uma visão muito diferente do amanhã. Mesmo quando o condutor seleciona o modo de condução autónoma e entrega a condução ao veículo, o desempenho do automóvel — desde acelerar a travar e até mesmo, a curvar — imita as preferências e o estilo próprio do condutor.

No modo de condução manual, o condutor assume o controlo; a aceleração em linha reta e as curvas tornam-se pessoais e revigorantes. Ainda assim, nos bastidores, o Nissan IDS continua atento para prestar uma eventual assistência. Os sensores monitorizam constantemente as condições de condução e está disponível para ajudar o condutor a obter a melhor resposta ao seu controlo. Na eventualidade de perigo iminente, o Nissan IDS irá assistir o condutor a executar uma ação evasiva. Além de aprender, a IA do Nissan IDS comunica como um parceiro atento.

OJE

Recomendadas

PremiumRede 5G, um ano e quatro mil antenas depois

Portugal arrancou com a tecnologia de quinta geração a 26 de novembro. NOS, a primeira a lançar, revela que conta com 3.200 estações instaladas.

PremiumOaktree, Cerberus e Vanguard na corrida à VIC Properties

A Alantra vai receber esta sexta-feira as propostas não vinculativas para a compra dos ativos da VIC Properties. A Vanguard deverá avançar para o Pinheirinho. Oaktree e Cerberus entre os interessados.

Marcas vs Catar: o difícil equilibrismo das maiores marcas do mundo. Veja o “Jogo Económico”

Do equilibrismo de quem patrocina a prova à anti-campanha de quem está de fora, estes dias estão entregues a uma espécie de Mundial de marcas com desfecho imprevisível. Daniel Sá, especialista em marketing desportivo e diretor-executivo do IPAM e Henrique Tomé, analista da corretora XTB, são os convidados desta edição.