PremiumElisabeth Borne: a engenheira das pontes

O que Macron quer da engenheira com especialização em pontes é que seja primeira-ministra com especialização em estabelecer pontes com a nova base de apoio – não vai ser fácil.

Grácil, retraída, séria, o sorriso difícil – nunca um desperdício – atenta aos pormenores.

É assim que a nova primeira-ministra francesa, Elisabeth Borne, é tradicionalmente descrita – mas aquilo por que o presidente Emmanuel Macron a escolheu foi por ser engenheira de pontes. Elisabeth Borne é realmente engenheira com especialização em pontes e estradas, mas a sua nova função é a de estabelecer a ponte entre o partido de Macron – que agora se chama Renascimento (ou Renascença), um nome entre o florentino e o gongórico – e o possivelmente exagerado universo de potenciais apoiantes do seu segundo mandato. Depois de ter conseguido ser reeleito presidente com apenas uma parte dos votos com que conseguiu ser eleito em 2017, Macron decidiu que a sua aura podia juntar, para além dos que até agora eram republicanos em marcha e agora estão em processo de renascimento: os deserdados do gaullismo, os desiludidos do socialismo, os despojados da extrema-direita, os esquecidos da extrema-esquerda, os herdeiros dos sans culottes e os que enviaram os coletes amarelos para as lojas de segunda mão.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumVamos falar de Economia e Cultura sem preconceitos?

Ana Ventura Miranda nasceu em Torres Vedras. O “bichinho” da representação levou-a para Lisboa e, mais tarde, para Nova Iorque. Cresceu como pessoa e como profissional na área da produção e do jornalismo. Depois, lançou-se num novo desafio: divulgar e promover a Cultura portuguesa do outro lado do Atlântico. Seguiu-se o planeta. Tudo sem preconceitos. Ou não estivesse imbuída dessa cultura que liga as artes e a cultura ao negócio. “A Economia e a Cultura têm de estar ligadas”, diz ao JE.

Morreu o padre António Vaz Pinto

O sacerdote encontrava-se internado desde 8 de junho no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, na sequência de um tumor pulmonar. A notícia foi confirmada pela Província Portuguesa da Companhia de Jesus. António Vaz Pinto tinha 80 anos.

Helena Coelho arrasa Miguel Milhão da Prozis: “Não compro uma única coisa mais…”

O fundador da Prozis, Miguel Milhão, está no centro da polémica, após concordar com a decisão do Supremo Tribunal dos Estados Unidos em revogar a lei do aborto, que vigorava há mais de 50 anos. Perante a sua posição, várias figuras públicas deixaram de colaborar com a marca de nutrição desportiva, como é o caso de Jessica Athayde, Marta Melro ou Diana Monteiro. A apresentadora Helena Coelho é uma das mais críticas: “é a prepotência e arrogância de quem “não precisa de Portugal”.
Comentários