Elon Musk já tem 46,5 mil milhões assegurados para comprar Twitter

Desses 46,5 mil milhões, mais de 21 mil milhões serão de capital próprio.

Elon Musk já angariou os fundos para avançar com a compra da rede social Twitter.

De acordo com o documento enviado à Securities and Exchange Commission (SEC), o regulador do mercado dos EUA, a que a “CNBC” teve acesso, o dono da Tesla e da Space X assegurou um financiamento de 25,5 mil milhões de dólares junto de um grupo de bancos liderado pelo Morgan Stanley, informando ainda que vai ainda usar cerca de 21 mil milhões de dólares do capital próprio. Ao todo, diz o documento, o multimilionário assegurou 46,5 mil milhões de dólares para ajudar a financiar o potencial negócio.

Musk ainda não determinou se vai fazer uma proposta ao Twitter ou se vai tomar outras medidas para prosseguir com a sua oferta, refere o documento.

Recorde-se que na semana passada Musk ofereceu-se para comprar o Twitter por 54,20 dólares por ação, ou cerca de 43 mil milhões de dólares. Na sexta-feira, a administração do Twitter tomou medidas que visam evitar a aquisição hostil de Musk.

Esta oferta do CEO da Tesla e da SpaceX, acontece depois de o homem mais rico do mundo ter comprado mais de 9% da empresa. Depois desta entrada do investidor na empresa, a administração do Twitter ofereceu um lugar no conselho de administração da empresa que o limitaria a não ter mais de 14,9% da empresa. Musk recusou para que pudesse comprar uma maior participação na empresa.

Recomendadas

Afinal, que soluções existem para as empresas?

O Banco Português de Fomento lançou no início do ano os dois primeiros programas para apoiar a solvabilidade do tecido empresarial português. A banca está focada em aconselhar e montar as operações.

Presidente da Ryanair antecipa subida de preços nas ‘low-cost’

Michael O’Leary diz que o preço médio por bilhete deverá subir entre 10 a 20 euros nas viagens low-cost, que estão a tornar-se, segundo o mesmo, “demasiado baratas”.

Candidaturas selecionadas para o Consolidar conhecidas em julho

Os programas Recapitalização Estratégica e Consolidar têm gerado grande interesse, diz a presidente da comissão executiva do Banco Português de Fomento, Beatriz Freitas, ao Jornal Económico.
Comentários