Em 2040, a obesidade vai representar 20% dos gastos com cuidados de saúde a nível mundial

Tendo como pano de fundo o 22º Congresso Português de Obesidade, organizado pela Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade (SPEO), o Saúde Online falou com o Prof. Phil McEwan que participou numa sessão dedicada ao “impacto económico da Obesidade”, debruçando-se sobre o peso desta doença nas contas de um sistema de saúde

A prevalência de obesidade tem vindo a aumentar não só em Portugal, mas no mundo inteiro, representando um enorme fardo na saúde, pelas várias patologias associadas, como as doenças cardiovasculares, diabetes, doenças respiratórias e cancro, e na economia, sobretudo se considerarmos a diminuição da produtividade. Phil McEwan, professor e diretor técnico do Center for Health Economics, da Swansea University e diretor administrativo da HEOR Ltd, consultora que atua nas áreas do HIV, oncologia, diabetes e doenças infeciosas, começou a sua apresentação neste congresso por referir que, em 2040, o custo global com os cuidados de saúde irá aumentar entre cerca de 7 a 18 triliões de dólares, sendo 20% destinado ao tratamento da obesidade e das comorbilidades a ela associadas.

Ler artigo completo aqui

Recomendadas

Empreendedores apresentaram soluções inovadoras na área de saúde

A portuguesa R-nuucell, spin-off da Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa, que desenvolve novos medicamentos para a terapia dirigida ao cancro da mama triplo negativo integrou o grupo de 20 startups que se apresentaram aos investidores na CUF Tejo, em Lisboa.

Pelo menos 90% da população mundial adquiriu imunidade contra a covid-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estimou hoje que pelo menos 90% da população global adquiriu imunidade contra a covid-19, através de uma infeção ou da vacinação.

OMS alerta para risco acrescido de morte prematura das pessoas com deficiência

As pessoas com deficiência têm um risco mais elevado de morte prematura, de até 20 anos em relação à média da população, devido a dificuldades de acesso à saúde, alertou hoje a Organização Mundial de Saúde (OMS).
Comentários