Embaixada dos Estados Unidos pede libertação dos “268 presos políticos” a Maduro

A embaixada exige que se respeite os direitos humanos e que uma Venezuela democrática é boa para si mesma, para os Estados Unidos e para o hemisfério.

A embaixada dos Estados Unidos da América, na Venezuela, exigiu que se respeite os direitos humanos e pediu que o presidente do país, Nicolas Maduro, liberte 268 presos políticos durante o Natal.

“Durante esta temporada de férias, os nossos pensamentos estão com os 268 prisioneiros políticos detidos na Venezuela. Pedimos ao regime de Maduro que respeite os seus direitos humanos, e que os liberte nestas festas”, pede ‘tweet’ da embaixada dos Estados Unidos que é citado pela agência EFE.

O novo responsável dos EUA dos negócios estrangeiros no país, Todd Robinson, que chegou à Venezuela na segunda-feira, disse que a sua intenção era promover a “restauração de relações construtivas” com o país.

“Uma Venezuela democrática é boa para si mesma, para os Estados Unidos e para o nosso hemisfério. Temos muito trabalho a fazer e estou pronto para começar”, disse Robinson.

Os já longos desentendimentos entre os dois países continuaram com as administrações de Maduro e Donald Trump, que criticaram o governo de Chávez em várias ocasiões e rotularam a Venezuela como uma “ditadura”.

Recomendadas

Ministro do Interior da Suíça foi eleito pela segunda vez para presidente

Esta será a segunda vez que Berset assume o cargo de presidente da Suíça, depois de ter estado nessa função entre janeiro e dezembro de 2018.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

UE pede à Organização Mundial do Comércio que se pronuncie sobre disputa comercial com a China

A União Europeia acredita ser preciso defender a Lituânia e os interesses comunitários, sujeitos a restrições pela China.
Comentários