Emirados. Turismo recupera impacto da pandemia e atinge 5 mil milhões de euros até junho

A receita gerada pelo setor do turismo dos Emirados Árabes Unidos, no primeiro semestre, ultrapassou os 5.000 milhões de euros, uma recuperação face ao impacto da pandemia, anunciou o vice-presidente, Mohamed bin Rashed.

“A receita do nosso setor do turismo é superior a 19.000 milhões de dirhams [cerca de 5.000 milhões de euros] no primeiro semestre deste ano […]. Os Emirados Árabes Unidos foram os mais rápidos a superar os efeitos da pandemia”, disse Mohamed bin Rashed, após uma reunião do Conselho de Ministros.

O vice-presidente dos Emirados Árabes Unidos antecipou também uma “recuperação ainda mais forte do turismo na época do inverno”, a melhor para o setor, quando se verifica uma temperatura moderada, que ronda os 25 graus, abaixo dos 45 graus que se chegam a registar no verão.

Segundo os dados hoje avançados pelo governante, o comércio externo dos Emirados representou cerca de 271.100 milhões de euros, no período em causa, acima dos 227.700 milhões de euros registados antes da pandemia de covid-19.

“Os nossos indicadores são hoje mais fortes do que antes da pandemia. O crescimento económico é mais rápido e os setores do turismo, comércio e desenvolvimento estão maiores do que antes da covid-19”, assinalou.

Recomendadas

Ucrânia: Biden diz que aliados da NATO não serão “intimidados” por Putin

O Presidente norte-americano, Joe Biden, afirmou hoje que os Estados Unidos e seus aliados não se deixarão “intimidar” pelo seu homólogo russo Vladimir Putin, e prometeu que a NATO defenderá “cada centímetro” do seu território.

“Café com o CEO”. Assista à conversa com o Dr. Luís Teles, em direto a partir de Luanda

“Café com o CEO” é uma iniciativa promovida pela empresa angolana E.J.M, fundada por Edivaldo Machado em 2012, que procura dar a conhecer os líderes que estão a dar cartas em Angola e outros países da Lusofonia. Assista à sessão em direto de Luanda, capital angolana.

Grupo de direitos das mulheres apela à FIFA que exclua Irão do Campeonato do Mundo

“Por que a FIFA daria ao Estado iraniano e aos seus representantes um palco global, enquanto não apenas se recusa a respeitar os direitos humanos e dignidades básicos, mas atualmente está a torturar e matar o seu próprio povo?”, questionam na carta enviada ao representante do organismo.
Comentários