Emprego não assusta os touros, ou há algo mais?

Vai ser importante estar atento nos próximos dias, mais concretamente após as eleições intercalares nos EUA e, claro, na quinta-feira quando sair o Consumer Price Index.

A sessão de sexta-feira foi manifestamente muito curiosa, isto porque existiram todas as razões para um comportamento negativo e no entanto os índices norte-americanos encontraram força para sacudir o vermelho, terminando a semana com ganhos, algo que curiosamente eu referi como possível na análise prévia aos non-farm payrolls, não obstante todos os indícios apontarem para um dia de vermelho, isto porque os índices norte-americanos já iam no seu quarto dia consecutivo de perdas, e apesar dos fundamentais justificarem uma continuação do movimento, no curto prazo a componente técnica tem mais peso.

Portanto, o facto dos indicadores estarem sobre-vendidos é um dado que alimenta a reação do mercado na sexta-feira, depois de muita volatilidade assim que saíram os números do emprego, que não só não caíram para o nível dos 100.000, considerado como ideal para permitir um arrefecimento do ímpeto hawkish da Fed, mas acabaram por ser muito acima dos 198.000 antecipados. Com efeito, foram 261.000 ao que acrescem a revisão positiva do mês anterior para os 315.000, enquanto que os rendimentos por hora, dado muito importante, continuaram a subir, também mais que o esperado, para os 3,7% anuais.

O único dado dovish foi o aumento do desemprego, que subiu 0,2%, acima dos 0,1% previstos, para os 3,7%, contudo isso dificilmente justifica a desvalorização acentuada do U.S dólar, que deu o combustível para o ganho nos índices, até porque as expectativas para a taxa máxima da Fed subiram para os 5,5%. Ou seja, foi um movimento que não encaixa na lógica de médio prazo, o que não é incomum e pode muito bem ser uma pressão derivada do desfecho previsível das eleições intercalares de terça-feira nos EUA, onde os Democratas deverão perder a maioria que detém em ambas as câmaras do Congresso, o que fragiliza o U.S dólar.

Resumindo, vai ser importante estar atento nos próximos dias, concretamente após as eleições e claro na quinta-feira quando sair o Consumer Price Index, que será o principal catalisador de mercado até serem conhecidas as minutas da última reunião da Fed.

 

 

O gráfico de hoje é do EUR/USD, o time-frame é Diário

O par de moedas fez um falso breakdown do canal laranja, estando agora a testar a sua linha mediana (tracejado).

Recomendadas

Wall Street encerra no ‘vermelho’ contrariando ‘verde’ da Europa

O petróleo está a ser negociado em alta. O brent valoriza 0,74% para os 76,71 dólares e o crude sobe 0,10% para os 71,53 dólares.

PremiumPreço do petróleo caiu 45% desde máximo depois de invasão da Ucrânia

Apesar do embargo e do teto à Rússia, os preços do petróleo bateram mínimos anuais em três dias consecutivos esta semana.

Embargo europeu ao petróleo russo: o que esperar? Veja os gráficos da semana no “Mercados em Ação”

Veja os destaques na rubrica “Gráficos da Semana”, da responsabilidade de Marco Silva, consultor de estratégia e investimento, no programa que contou com a análise de Mário Martins, administrador da ActivTrades Brasil.
Comentários