Empreitada de prolongamento do quebra-mar do porto de Leixões foi contratualizada por 130 milhões de euros

Esta obra tem um prazo de execução de 30 meses e foi adjudicada ao consócio que integra as empresas Teixeira Duarte – Engenharia e Construções; Dredging International NV; e Tecnovia – Sociedade de Empreitadas.

A empreitada de prolongamento do quebra-mar exterior e das acessibilidades marítimas do porto de Leixões
foi contratualizada por um valor de 130 milhões de euros.

“No âmbito do plano de investimentos previsto, a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) procedeu terça-feira, dia 15 de dezembro, à assinatura do contrato da empreitada do prolongamento do quebra-mar exterior e das acessibilidades marítimas do porto de Leixões, pelo montante de 130,2 milhões de euros”, adianta a ‘newsletter’ da Portos de Portugal.

De acordo com esta nota, “a obra, imprescindível para que o porto de Leixões mantenha a competitividade do tecido empresarial e industrial e, consequentemente, a preponderância na economia regional e nacional, tem prazo de execução de 30 meses e foi adjudicada ao consócio que integra as empresas Teixeira Duarte – Engenharia e Construções; Dredging International NV; e Tecnovia – Sociedade de Empreitadas”.

Recomendadas

Empresas precisam de mudanças que deem sinal de esperança, diz bastonária dos contabilistas

Paula Franco tem “expectativa” de que no próximo Orçamento do Estado sejamos “surpreendidos com medidas que aumentem a confiança”.

Transição climática é prioridade para grandes empresas

Sonae, CTT, NOS e Altri têm estratégias consolidadas no combate às alterações climáticas e querem com as suas práticas influenciar toda a cadeia de valor. O JE foi conhecer as metas traçadas e as medidas para as atingir.

Vila Galé Collection Braga considerado o hotel mais marcante da Europa nos ‘Óscares do Turismo’

Com um investimento de oito milhões de euros, o Vila Galé Collection Braga resulta da reconversão do complexo do antigo hospital de São Marcos, que estava desocupado desde 2011, permitindo assim a requalificação de um imóvel de interesse público, datado de 1508.
Comentários