Empresa de canábis duplica capacidade de produção em Odemira

O Infarmed autorizou ainda a renovação da licença da empresa para cultivar, importar e exportar “produto de qualidade farmacêutica, uma decisão essencial para que a Clever Leaves Portugal continue os seus esforços de continuada expansão e o desenvolvimento da investigação realizada por este operador do mercado da canábis medicinal”.

A empresa Clever Leaves, produtor licenciado de canábis de qualidade farmacêutica, anunciou esta terça-feira a duplicação de capacidade de produção na região de Odemira, local onde tem a produção em Portugal. Além disso, a empresa diversificou o potencial de exportações a partir de Portugal.

A autorização para a expansão das instalações em Portugal foi dada pelo Infarmed, a autoridade reguladora portuguesa, e a propriedade da Clever Leaves em São Teotónio vai passar de dez mil metros quadrados para 24 mil metros quadrados, nos quais se inclui uma instalação concebida e dedicada para fins de pesquisa aplicada.

O Infarmed autorizou ainda a renovação da licença da empresa para cultivar, importar e exportar “produto de qualidade farmacêutica, uma decisão essencial para que a Clever Leaves Portugal continue os seus esforços de continuada expansão e o desenvolvimento da investigação realizada por este operador do mercado da canábis medicinal”.

De acordo com comunicado da empresa, esta aprovação permitirá “não só elevar a produção comercial para um padrão de qualidade ainda mais elevado, como também reforçar o foco na atenção dada à testagem e estabilização de novas variedades da planta de canábis e no desenvolvimento contínuo de novos produtos, através de várias técnicas e processos de investigação aplicada”.

Desde que se instalou em São Teotónio, as instalações portuguesas já exportaram para o Reino Unido, Austrália, Estados Unidos da América e Israel, “países com requisitos distintos no que respeita às especificações que devem ser cumpridas para permitir a entrada deste tipo de produtos em cada país”.

“O espaço adicional em estufa agora aprovado pelo Infarmed permitirá uma maior adaptação dos esforços de cultivo à regulamentação específica de cada país, o que resultará no aumento da capacidade de exportação e na maior diversificação dos países para os quais as exportações são feitas”, lê-se no comunicado da Clever Leaves.

O CEO da empresa, Kyle Detwiler, indica que “as nossas operações portuguesas no ano passado já permitiram estabelecer um patamar histórico no comércio global de canábis”. “Com esta nova aprovação concedida para a expansão das nossas operações, estamos otimistas em relação ao que conseguiremos alcançar no mercado internacional em 2022”.

Recomendadas

A Mobilidade elétrica acelera a descarbonização das empresas

Na sua definição mais simples, descarbonizar significa “tirar carbono a”. E no caso da energia, significa que cada vez mais, queremos trocar as energias fósseis, que emitem gases de efeito estufa, por mais energias verdes, renováveis.

CGD vai continuar com uma posição de capital acima da média da Europa, diz Paulo Macedo

O presidente da Comissão Executiva da CGD disse hoje que o banco vai continuar com uma das maiores redes de agências e com uma posição de capital acima da média da Europa e acima dos bancos portugueses.

Alliance Healthcare tem um novo CEO

Paulo Clímaco Lilaia é o novo CEO da Alliance Healthcare, anunciou a empresa que  armazena e distribui produtos farmacêuticos, em comunicado.
Comentários