Empresa Dynasys e Universidade de Coimbra desenvolvem armário de desinfeção inovador

O sistema pode ser crucial para prevenir a disseminação de infeções em lojas de roupa e calçado, onde os itens são amplamente manipulados, mas também em espaços como hospitais, laboratórios, ginásios, escolas e empresas.

Uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e a Dynasys, empresa de engenharia eletrónica e telecomunicações sediada em Setúbal, estão a desenvolver uma solução de desinfeção inovadora rápida e fácil de usar.

Trata-se de um armário a que dão o nome de NovirBox e que, no fundo, é “um sistema de desinfeção automático, programável, rápido, fácil de usar, que pode funcionar à temperatura ambiente, e que não molha os tecidos ou o calçado”.

Segundo os investigadores, este sistema pode “tornar-se crucial na prevenção da disseminação de infeções em lojas de roupa e calçado, nas quais os itens são amplamente manipulados, mas também em espaços como hospitais, laboratórios, ginásios, escolas, indústrias, entre outros”.

O equipamento recorre à nebulização ultrassónica do desinfetante VIRCOV BAC 360 da Inokem para a desinfeção de tecidos, roupas e calçado. “Graças à tecnologia de nebulização ultrassónica do NovirBox é possível gerar um aerossol do desinfetante com gotículas extremamente pequenas, o que permite que o desinfetante penetre nos poros dos tecidos da roupa e que chegue a todas as zonas do calçado”, explicam.

Paula Morais, diretora da Coleção de Culturas de Bactérias da Universidade de Coimbra e docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, adianta: “Testámos a eliminação de esporos bacterianos, de vírus e de bactérias Gram-negativas e Gram-positivas”. Os ensaios realizados na Faculdade, através da Coleção de Culturas de Bactérias da Universidade de Coimbra (UCCCB, na sigla em inglês) incluíram a testagem dos protótipos do NovirBox na desinfeção de tecidos e de calçado”.

A cientista lembra que a pandemia da Covid-19 “destacou a importância dos processos de desinfeção na segurança da saúde. Têxteis e calçado foram identificados como vetores de disseminação de infeções. Além disso, o risco de surgimento de novas variantes de SARS-CoV-2 e de novas pandemias, como a varíola dos macacos, juntamente com o crescente problema de microrganismos multirresistentes, torna necessário o desenvolvimento de novos e melhores métodos de desinfeção”.

Por isso, “encontrar um método eficiente para a desinfeção rápida de têxteis e calçado pode ser decisivo para controlar a propagação de infeções. Esta colaboração da UCCCB com a Dynasys representa um bom exemplo da sua missão de estar próxima da comunidade e de contribuir para o desenvolvimento tecnológico da indústria”.

Além de Paula Morais, a equipa da Universidade de Coimbra integra também os investigadores Diogo Proença, Beatriz Rito e Tiago Henriques.

Os resultados da investigação foram publicados na revista International Journal of Environmental Research and Public Health.

Recomendadas

TecStorm liga empresas e estudantes

Neste Innovation Talk com o SuperToast by Instinct, Joana Ribeiro Alves e Margarida Santos do JUNITEC – Júnior Empresas do Instituto Superior Técnico, explicam como o hackathon TecStorm tem ligado empresas a estudantes com soluções inovadoras, e partilham as expectativas para a para a 7ª edição desta competição, cujas inscrições já estão abertas.

Elon Musk acusa Apple de ameaçar bloquear Twitter da App Store

A ação, não confirmada pela Apple, não seria fora do comum, dado que a empresa rotineiramente aplicou as suas regras e removeu anteriormente aplicações como Gab e Parler. 

re:Invent2022: o que acontece em Las Vegas, não fica apenas em Las Vegas

O “Jornal Económico”, através da jornalista Mariana Bandeira, acompanha ao detalhe o re:Invent 2022, o palco de networking da Amazon Web Services que conta com cerca de 50 mil participantes em Las Vegas, além dos inscritos na versão digital do evento.
Comentários