Empresários ribatejanos procuram parceiros de negócio no Canadá

A Associação Empresarial da Região de Santarém está no Canadá numa missão empresarial, até quinta-feira. O presidente da organização considera o CETA “bom” para os dois países.

Stefan Wermuth/Reuters
Seja persistente e exigente.

Em território canadiano durante os próximos dias, António Campos, presidente-executivo da Associação Empresarial da Região de Santarém (NERSANT), explicou que existem “bons investimentos que podem ser feitos” no país.

“Viemos convidar os empresários portugueses radicados no Canadá, para que possam ver Portugal como uma janela de oportunidade de investimento. Em Portugal há um fator, que é a existência de capitais próprios baixos”, explicou à agência Lusa

A delegação de dez elementos da NERSANT, incluindo representantes de seis empresas, está em Toronto, onde tem agendados encontros locais com empresários canadianos.

António Campos destaca que “a tipologia das nossas pequenas empresas enquadra-se perfeitamente nas respostas que possam dar a nichos do mercado”. “A expectativa não é vir para cá grandes empresas ou grandes negócios, mas é de poder haver alguma complementaridade”, acrescentou. O dirigente da associação empresarial ribatejana revelou que, após um rastreio efetuado aos associados, no ano passado, surgiu também a hipótese de se realizar “uma futura missão empresarial a Alberta”, no centro do Canadá.

Questionado sobre o CETA, o presidente da NERSANT refere que “é bom para ambos os lados”, afirma. “É por aí que podemos trabalhar, através da tipologia da nossa atividade económica e vice-versa, porque também queremos que os empresários olhem para Portugal e para o mercado Europeu de 500 milhões de habitantes”, realçou.

Na sua perspetiva, o programa Portugal 2020 é importante e uma “boa oportunidade para os empresários portugueses residentes no Canadá em investirem em Portugal”.

Já o responsável pela organização da missão da NERSANT no Canadá, Felipe Gomes, explicou que “esta é uma boa altura para Portugal, porque há uma grande procura de produtos portugueses”. “Como empresário tenho testemunhado muita procura de imensos produtos portugueses, com a ida a Portugal de muitos canadianos que procuram produtos portugueses. É algo bastante positivo”, disse.

Recomendadas

Moldova mantém neutralidade mas irá fortalecer a cooperação com a NATO

A Moldova manterá a neutralidade, mas aprofundará a sua cooperação com a NATO para garantir a sua capacidade defensiva, declarou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros da Moldova, Nicu Popescu.

Espanha e Alemanha reúnem-se em cimeira pela primeira vez desde 2013

Espanha e Alemanha celebram na quarta-feira a primeira cimeira bilateral em nove anos, que coincide com um momento de sintonia entre os dois executivos em projetos como o do gasoduto para ligar a Península Ibérica à Europa central.

CMVM: “É notório o crescimento da divergência dos padrões de poupança das famílias portuguesas”

“A poupança de longo prazo exige disciplina e empenho além de, naturalmente, um nível de rendimento que permita poupar. Esta combinação de condições ajuda a explicar o baixo nível de poupança em Portugal e em outros países que nos são próximos”, reconhece Rui Pinto.
Comentários