Empresas de distribuição de gás natural querem investir 306,5 milhões até 2023

Segundo a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), o investimento previsto representa um acréscimo de 11,8% em comparação com o montante global das propostas dos planos anteriores e um acréscimo de 12,9% face ao montante global reportado à ERSE como executado e entrado em exploração no horizonte 2013 a 2017.

As empresas de distribuição de gás natural prevêem investir 306,5 milhões de euros nos próximos cinco anos, com a REN Portgás Distribuição e o grupo Galp a serem responsáveis por cerca de 80% do montante previsto.

De acordo com as propostas de Plano de Desenvolvimento e Investimento das Redes de Distribuição para o período 2019-2023, os montantes totais de investimento ascendem a um total de 306,5 milhões de euros, e as maiores fatias de investimento dizem respeito à REN Portgás Distribuição e ao grupo Galp, destacando-se igualmente o crescimento da dimensão da Sonorgás que, de cinco licenças, passou a deter 23 licenças.

Segundo a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), o investimento previsto representa um acréscimo de 11,8% em comparação com o montante global das propostas dos planos anteriores e um acréscimo de 12,9% face ao montante global reportado à ERSE como executado e entrado em exploração no horizonte 2013 a 2017.

Em termos desagregados, a REN Portgás prevê investir 129 milhões de euros até 2023 e o grupo Galp 125,2 milhões de euros, o que se traduz em crescimentos de 17,4% e 14%, respetivamente.

Recomendadas

Digi e Cellnex celebram acordo para instalação de rede 5G em Portugal

Esta é a primeira informação oficial a surgir depois de a Digi ter investido mais de 67 milhões de euros na compra de licenças 5G no leilão da Anacom.

Mastercard quer oferecer soluções tecnológicas de pagamento que incluam criptomoedas

A Economista Responsável pelos Mercados da Europa, Médio-Oriente e África no Instituto Económico da Mastercard, Natalia Lechmanova, mostrou como os hábitos dos consumidores estão a alterar-se nas economias ocidentais, onde “as pessoas estão a dar cada vez mais prioridade às experiências e menos a “coisas”.

Mobilidade Sustentável: conheça a aposta da Schindler

Com a missão de ser cada vez mais sustentável, a Schindler estabeleceu para o ano de 2030 uma redução de 50% nas emissões de gases com efeito de estufa das suas atividades, com base nos dados de 2020.
Comentários