Empresas investem 141 milhões para criar 484 novos postos de trabalho em Portugal

Entre as entidades beneficiadas estiveram: Vila Galé, João de Deus, Siemens Gamesa, Tryba. Os investimentos destas empresas devem criar 484 novos postos de trabalho e manter mais de 1.100, anunciou a AICEP.

A Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), tutelada pelo Estado, assinou contratos fiscais de investimento no valor de 141 milhões de euros, esta terça-feira. Entre as entidades beneficiadas estiveram: Vila Galé, João de Deus, Siemens Gamesa, Tryba. Em combinado estes investimentos devem criar 484 novos postos de trabalho e manter mais de 1.100.

A Tryba, SA possui o investimento mais elevado, no valor de 49,3 milhões de euros. A verba deve ser canalizada para “um projeto de investimento conexo com a instalação em Portugal de uma nova unidade fabril, de vanguarda a nível europeu, destinada à produção de janelas e portas de elevada performance em Alumínio, PVC e Pérgulas Bioclimáticas”, refere a AICEP.

O investimento da Tryba deve criar 212 novos postos de trabalho, e deve contar com o auxílio de uma tecnologia, dita inovadora, a nível europeia, recorrendo ao sistema Thermoplastic Space (TPS).

40 milhões de euros mobilizados para novas linhas de produção

Já o projeto da empresa João de Deus & Filhos, SA atinge os 40,7 milhões de euros e prevê a implementação, na fábrica, em Samora Correia, “de duas novas linhas de produção que permitam a industrialização de duas novas tipologias de produtos: (i) chiller para baterias de veículos elétricos; (ii) uma nova gama de intercoolers arrefecido a água constituída por três soluções específicas: WCAC para veículos híbridos plug-in; WCAC para motores de combustão interna baseado em materiais avançados e sem geração de resíduos; e WCAC com novas configurações funcionais e geometrias internas”.

Para este investimento devem ser mantidos mais de 300 postos de trabalho e criados 101 novos empregos, conforme indica a AICEP.

Siemens vai instalar seis novas linhas de produção

A Siemens Gamesa Renewable Energy Blades, SA tem um projeto de investimento, avaliado em 34,9 milhões de euros, para “o aumento da capacidade produtiva da unidade industrial da empresa, envolvendo a instalação de seis novas linhas produtivas para fabrico de novos modelos de pás eólicas, e a implementação de novas tecnologias aplicáveis ao contexto da produção de pás eólicas para aerogeradores, que irão permitir o fabrico de produtos inovadores no mercado nacional e internacional, nomeadamente, uma nova gama de pás eólicas (76 e 83 m de comprimento) para torres eólicas onshore de elevadas dimensões, com uma capacidade entre 5,8 MW e 6,6 MW”.

O investimento deve manter mais de 700 postos de trabalho e criar 100 novos postos de trabalho.

Vila Galé cria duas novas unidades e quer integrar conceito “plastic free”

O investimento da Vila Galé Internacional – Investimentos Turísticos, SA, de 16,4 milhões de euros, inclui a criação das unidades hoteleiras Vila Galé Serra da Estrela e a Vila Galé Alter Real, nos Municípios de Manteigas e Alter do Chão.

Trata-se de uma aposta na diversificação “através da disponibilização de novos segmentos de Turismo de Neve, Turismo de Natureza/Montanha e Turismo Equestre”, refere a AICEP. O projeto tem também por objetivo integrar o “conceito de “plastic free”, em ambas as unidades, o que, aliado à anterior inovação “paper free” torna estes hotéis mais sustentáveis e inovadores”, refere a AICEP.

O investimento deve manter mais de 100 postos de trabalho e criar 71 novos postos de trabalho.

Na cerimónia de assinatura destes quatro contratos de investimento estiveram presentes o primeiro-ministro, António Costa, o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, a Administradora da AICEP responsável pela área de Investimento e Incentivos, Madalena Oliveira e Silva, e pelos altos responsáveis das respetivas empresas.

Recomendadas

Marques Mendes: “Costa Silva recupera autoridade ou sai. O país precisa de um ministro da Economia forte”

“De um Governo com maioria absoluta, à partida um Governo forte, esperava-se unidade, coesão, determinação, energia, mobilização, espírito reformista. O que encontrámos? Exatamente o contrário”, disse este domingo o comentador da SIC.

Moçambique baixa receitas fiscais do gás ao fundo soberano para 40%

Moçambique deverá ser um dos maiores exportadores mundiais de gás a partir de 2024, beneficiando não só do aumento dos preços, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, mas também pela transição energética.

PCP defende aumento do salário mínimo nacional para 850 euros em janeiro

O secretário-geral do PCP acusou o Governo de querer “retomar todos os caminhos da política de direita, fazer comprimir ainda mais os salários, facilitar a exploração, abrir espaço para os negócios privados na saúde e na educação, condicionando ou justificando as suas opções com as orientações e imposições da União Europeia e do euro”.
Comentários