Empresas já podem candidatar-se à semana de trabalho de quatro dias

Conforme avançou o Jornal Económico em primeira-mão, a semana de trabalho de quatro dias vai ser testada durante seis meses, no próximo ano. Empresas interessadas em participar já podem candidatar-se através do formulário digital disponibilizado pelo IEFP.

Nacho Doce/Reuters

As empresas que estejam interessadas em testar a semana de trabalho de quatro dias, no âmbito do projeto-piloto que o Governo está a organizar, já podem candidatar-se através do formulário digital disponibilizado pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). De acordo com o cronograma apresentado aos parceiros sociais, os empregadores têm até ao final de janeiro para manifestar o seu interesse, arrancando a experiência em junho.

Conforme já avançou em primeira-mão o Jornal Económico (JE), o projeto-piloto não vai fixar a carga horária semanal exata que cada trabalhador abrangido terá de cumprir. Antes, está definido que terá de haver uma redução do horário semanal, mas os termos dessa diminuição deverão ser negociados entre a empresa e o trabalhador. “Podem ser 32 horas, 34 horas, 36 horas”, sublinha o Executivo, no documento apresentado aos parceiros sociais.

Os trabalhadores abrangidos, é importante realçar, não sofrerão qualquer corte salarial, sendo a participação voluntária.

Este projeto-piloto está, de resto, aberto a todas as empresas do sector privado, que desejem participar. Ao JE, o coordenador, Pedro Gomes, frisou que seria importante ter alguma variedade nas empresas envolvidas, em termos de dimensão, atividade e localização geográfica.

E os empregadores interessados já podem inscrever-se. O formulário disponibilizado exige uma série de dados da empresa (nome, número de contribuinte, código de atividade e dimensão), mas também obriga os interessados a explicar porque querem participar e o que esperam obter com esta experiência.

Fica ainda claro que serão realizadas sessões virtuais de esclarecimento dirigidas às organizações potencialmente interessadas em participar no programa-piloto, tendo o empregador de selecionar, no momento da candidatura, aquela em que deseja participar.

A primeira dessas sessões decorrerá esta sexta-feira, pelas 18h00. E a última a 20 de janeiro, no mesmo horário.

O projeto-piloto arranca em junho e durará seis meses. Depois, serão avaliados os resultados. Esta iniciativa consta do programa do Governo de António Costa.

Relacionadas

Respostas rápidas. Semana de trabalho de quatro dias testada a partir de junho: como vai funcionar?

Algumas empresas portuguesas vão testar a semana de trabalho de quatro dias a partir do verão do próximo ano. O modelo deste projeto-piloto foi apresentado esta semana aos parceiros sociais. Mas afinal, como vai funcionar o teste? O Jornal Económico explica.

PremiumSemana de quatro dias testada durante seis meses

O coordenador do projeto-piloto que irá pôr à prova a semana de trabalho de quatro dias em Portugal explica que o objetivo é incluir empresas dos mais variados sectores, da restauração à tecnologia, passando pela indústria.
Recomendadas

Executivos estão a adotar uma nova abordagem em relação aos custos, diz Accenture

Estudo da consultora revela que as medidas tradicionais de cortes de custos já não são suficientes. A estratégia deve ter em conta o crescimento, a sustentabilidade e a inovação das empresas.

EUA incluem Irão, grupo Wagner e talibãs na lista negra de liberdade religiosa

O Governo dos Estados Unidos anunciou hoje a sua ‘lista negra’ de países e organizações que atentam contra a liberdade religiosa, nela incluindo Cuba, China, Irão, Rússia, o grupo Wagner e os talibãs, entre outros.

Crise/Energia: Desconto no ISP reduz-se em dezembro com queda dos preços dos combustíveis

O Ministério das Finanças anunciou hoje que em dezembro há uma redução do desconto do ISP em 3,9 cêntimos por litro de gasóleo e em 2,4 cêntimos por litro de gasolina, tendo em conta a queda dos preços.
Comentários