Empresas norte-americanas reforçam domínio na venda global de armas

O Instituto Internacional de Estudos de Paz de Estocolmo (SIPRI) apontou hoje que as empresas norte-americanas aumentaram o domínio no comércio global de armas em 2018, para 59% do volume total entre as 100 principais empresas do ramo.

De acordo com o estudo do SIPRI, as vendas das empresas norte-americanas totalizaram 222,3 mil milhões de euros, mais 7,2% do que em 2017 e, pela primeira vez desde 2002, os cinco primeiros do “top 100” pertencem aos Estados Unidos: Lockheed Martin, Boeing, Northrop Grumman, Raytheon e General Dynamics.

“As empresas norte-americanas estão a prepara-se para o novo programa de modernização de armas anunciado pelo Presidente [norte-americano, Donald] Trump em 2017. Muitas juntaram-se para produzir a nova geração de sistemas de armas e estão em melhor posição para fazer contratos com Governo”, observou o estudo.

De acordo com o relatório do SIPRI, que não inclui empresas chinesas devido à falta de dados confiáveis, as vendas das 100 maiores empresas de armas aumentaram 4,6% em 2018, para 379,6 mil milhões de euros, o que representa um aumento de 47% desde 2002, data do primeiro estudo do SIPRI.

As vendas das dez empresas russas incluídas na listagem atingiram 32,7 mil milhões de euros, menos 0,4% que em 2017 e representaram 8,6% do total em 2018, devido ao “crescimento substancial” dos rivais norte-americanos e europeus.

As 27 empresas europeias da lista venderam 92,2 mil milhões de euros, pouco mais que em 2017 e com o Reino Unido a representar um terço do total do continente, liderado pela BAE Systems, o sexto produtor mundial.

O volume total de empresas britânicas caiu quase 5% em relação ao ano anterior, em parte devido a atrasos no programa de modernização de armas promovido pelo Governo britânico.

O aumento de 30% nas vendas da fabricante de caças Dassault Aviation levou as empresas francesas a realizarem vendas, no valor 20,9 mil milhões de euros.

Oitenta das 100 empresas incluídas na lista são dos Estados Unidos, da Europa ou da Rússia, e entre as 20 restantes contam-se seis japonesas, três israelitas, três indianas e três sul-coreanas.

As 15 principais companhias de armamento venderam quase seis vezes mais que as restantes empresas que integram a lista das 100 maiores, de acordo com os dados do SIPRI.

Recomendadas

PremiumGeorge Clooney e o Speedmaster ’57

Coincidindo com o 65º aniversário da linha Speedmaster, a coleção completa Omega Speedmaster ’57 inclui agora oito novos modelos.

Chefes da diplomacia da Rússia e da Guiné Equatorial reuniram-se

Os dois ministros salientaram a importância crucial da segunda Cimeira Rússia-África, a realizar em São Petersburgo em 2023, para o reforço das diversas relações da Federação Russa com nações africanas, adianta-se no comunicado.

Cancelados dois concertos de Roger Waters na Polónia devido a posicionamento pró-russo

O co-fundados dos Pink Floyd iria atuar em Cracóvia em abril do próximo ano, na sala de espetáculos “Tauron Arena”, mas, segundo adiantam alguns meios de comunicação da Polónia, as autoridades polacas pretendem declarar Roger Waters como ‘persona non grata’.
Comentários