PremiumEmpresas vão ter apoio a fundo perdido para pagar rendas

Apoio a fundo perdido para pagar rendas, alargamento do programa Apoiar a mais empresas e a suspensão das execuções do fisco e da Segurança Social são algumas das medidas anunciadas pelo Governo para 2021.

O ministro da Economia anunciou na quinta-feira que o Governo vai lançar um apoio a fundo perdido para o pagamento de rendas de empresas no próximo ano.

O pagamento será feito em duas tranches, ao longo do primeiro semestre: uma no primeiro trimestre, outra no segundo. As candidaturas a esse apoio deverão abertas em janeiro, segundo revelou Pedro Siza Vieira em conferência de imprensa. As contas são feitas tendo em conta a faturação de 2020 relativa a 2019, explicou.

Este apoio “permite às empresas receberem, no caso daquelas que registem uma quebra entre 25% a 40%, um apoio correspondente a 30% da renda, até 1.200 euros por mês”.

No caso de “uma empresa com quebra de faturação superior a 40%, terá um apoio correspondente a 50% do valor da renda, até dois mil euros por mês”. Se for uma unidade hoteleira a pagar uma renda de cinco mil euros por mês, com uma quebra de 45%, terá um apoio mensal de dois mil euros.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Emirados Árabes Unidos vão fornecer à Alemanha gás liquefeito e gasóleo em 2022 e 2023

Segundo a agência noticiosa oficial dos Emirados, Wam, o acordo prevê a exportação de uma carga de gás natural liquefeito (GNL) para a Alemanha no final de 2022, seguida do fornecimento de quantidades adicionais em 2023.

Angola cresce 3,5% este ano, mas abranda para 1,8% em 2023

“O forte crescimento de Angola este ano dificilmente vai prolongar-se para 2023, já que a produção petrolífera deverá regressar à tendência decrescente”, lê-se numa análise às maiores economias da África subsaariana, região que deverá ver o PIB deste ano expandir-se 3,3%, abrandando face aos 4,4% do ano passado.

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,
Comentários