Empréstimo habitação: todas as comissões bancárias explicadas

Sabia que a diferença entre os valores das comissões bancárias de um empréstimo habitação podem ir até aos 500 euros, dependendo do banco? Descubra tudo.

Num empréstimo habitação há vários fatores que compõem os custos que pode vir a ter com o financiamento em si. Nomeadamente, terá que ter atenção ao custo do crédito em si, que é composto pelo spread, comissões bancárias, juros, prémios de seguros e também indexante (a Euribor nos créditos de taxa variável).

Este indexante, a taxa Euribor, pode afetar o seu crédito habitação na medida em que a sua taxa varia com o indexante escolhido. Ou seja, de acordo com o prazo escolhido, a Euribor varia, assim como a taxa do seu crédito habitação.

Neste artigo, da autoria do ComparaJá, explicaremos quais as comissões bancárias mais comuns e também para que serviços do empréstimo habitação são direcionadas. É, no entanto, necessário ter em atenção que as algumas comissões cobradas variam de banco para banco e que uma consulta à Ficha de Informação Normalizada é sempre aconselhável.

Empréstimo habitação tem comissões na abertura e ao longo do contrato

No seu crédito habitação vai pagar várias comissões bancárias, sendo algumas das quais “de uma vez só” na abertura do processo e outras que se vão cobrando ao longo de todo o empréstimo.

Comissão de Avaliação do Imóvel: Para conseguir financiar um empréstimo habitação, o banco precisa de saber de forma fidedigna qual é o valor do imóvel. Para esse fim, é cobrada uma comissão de avaliação que estará, em princípio, na casa das duas centenas de euros.

Há, no entanto, bancos que isentam o cliente do pagamento desta comissão se o imóvel a financiar já for da carteira do banco. É, claro, uma comissão que só se paga uma vez.

Comissão de Dossier: Que, dependendo do banco, também pode ser chamada de comissão de estudo ou abertura. Aqui estão presentes os custos de análise do crédito. É também um valor variável de acordo com o banco e o valor da casa tem influência no mesmo.

Comissão de Formalização: Valor pago aquando da formalização do contrato e que serve para cobrir gastos administrativos e burocráticos que tenham decorrido ao longo do processo. No entanto, há bancos que não cobram esta comissão.

Comissão de Processamento de Prestação: Cada vez que fizer uma transferência da mensalidade do crédito habitação para o seu banco, também estará nisto incluída a comissão de processamento de prestação. Esta, ao contrário das anteriores, não acontece apenas uma vez, mas acompanha todas as prestações que paga ao banco pelo seu empréstimo habitação.

Não perca: Crédito para troca de casa

Que outros custos há com o empréstimo habitação? É possível reduzi-los?

Outra “fatia” importante do que paga com o crédito habitação prende-se com o seguro de vida que os bancos exigem aquando da contratação do empréstimo para a compra de casa.

A instituição fá-lo para mitigar o risco de, no caso de um dos titulares ficar impossibilitado de auferir rendimentos, poder na mesma ser reembolsada do empréstimo habitação.

Assim sendo, quando contrai um crédito habitação fica obrigado a contratar um seguro de vida. Mas atenção: não precisa de o fazer na instituição. Pode ir procurar um seguro de vida fora daqueles oferecidos pelo seu banco e, se analisar bem o mercado, pode mesmo poupar dinheiro.

E há ainda outro seguro que é exigido pelos bancos quando pede um empréstimo habitação. É o seguro multirriscos e serve para proteger a casa (incêndios e fenómenos sísmicos) e também o pode contratar noutra instituição que não no banco onde vai fazer o crédito habitação.

E não se esqueça: também há custos fiscais envolvidos no crédito habitação. Destes destacam-se o Imposto Municipal sobre Transmissões Onerosas de Imóveis(IMT) que visa a tributação do direito de propriedade sobre bens imóveis em Portugal e o Imposto do Selo que incide sobre o montante pedido de crédito e também sobre as comissões.

Algo que pode levar a reduzir o seu spread junto ao banco é também a contratação de alguns produtos extra nomeadamente ter conta ordenado ou mesmo cartão de crédito com o respectivo banco, ajudando a que o spread seja menor.

Relacionadas

Quer que o seu crédito à habitação seja aprovado? Siga estas seis dicas

A procura de casa para comprar pode ser intensa, cansativa e frustrante. Siga os nossos conselhos para ver o seu crédito à habitação aprovado.

Análise de crédito: o que influencia os bancos a emprestar dinheiro?

Na hora de pedir um financiamento, os bancos fazem uma análise de crédito ao cliente. Saiba quais os fatores que influenciam esta tomada de decisão.

Transferência de crédito: o que é, vantagens e novos prazos

Se está a considerar uma transferência de crédito para outra instituição bancária, saiba como são calculados os prazos e veja se é uma boa solução para si.

Euribor: seis formas de combater a subida desta taxa e minimizar o esforço financeiro

Ameaçou e cumpriu: a Euribor subiu, com consequências financeiras para todos os portugueses. Saiba o que pode fazer para combater a subida da Euribor.

Como renegociar crédito? Tudo o que precisa de saber

Antes de falar com o banco para renegociar crédito existem aspetos a considerar. Saiba tudo e reduza o valor total da dívida e a sua prestação mensal.

Taxa fixa ou variável: como escolher?

Taxa fixa ou variável? Esta questão é colocada a todos os que contratam um crédito habitação. Descubra, no nosso artigo, como escolher.
Recomendadas

CRC do Banco de Portugal. Afinal, de que se trata?

A Central de Responsabilidades de Crédito (CRC) é uma base de dados gerida pelo Banco de Portugal que contém informação prestada pelas entidades participantes (instituições que concedem crédito) sobre os créditos concedidos aos seus clientes.

É jovem e quer abrir a sua primeira conta bancária? Saiba aqui algumas dicas

Hoje pode optar por abrir conta sem sair de casa e com garantia de segurança. Quase todos os bancos oferecem um conjunto de serviços através de aplicações que poderá utilizar para consulta e efetuar transações.

80% dos que se despediram em 2022 arrependem-se da decisão, aponta estudo

O fenómeno que ficou conhecido como ‘a grande demissão’ resultou num grande arrependimento. 80% dos trabalhadores que largaram os seus empregos no ano passado gostaria de voltar atrás na decisão, revela um estudo da Paychex.
Comentários