Empréstimos à habitação continuam a abrandar, segundo Banco de Portugal

No final de outubro, o montante total de empréstimos para habitação era de 100,1 mil milhões. Outros dados do Banco de Portugal dão conta que o stock de empréstimos às empresas registou um valor de 76,2 mil milhões de euros, diminuindo 480 milhões de euros em relação ao mês anterior e registando uma taxa de variação anual de 1,1% (1,4% no mês anterior).

O Banco de Portugal divulgou as estatísticas do crédito e depósitos de outubro, e nelas constata que o stock de empréstimos a particulares registou um valor de 129,1 mil milhões de euros, registando uma taxa de variação anual de 4,1% (o que compara com 4,3% no mês anterior).

A evolução dos empréstimos e dos depósitos é medida pela taxa de variação anual, o que significa que é calculada apenas com base no montante das transações (concessão e amortização/reembolso de empréstimos e depósitos), desconsiderando outros efeitos (por exemplo, cambiais), explica o banco central.

A variação dos empréstimos a particulares para habitação foi de 4,2%, diminuindo 0,2 pontos percentuais em relação ao mês anterior.

“No final de outubro de 2022, o montante total de empréstimos para habitação era de 100,1 mil milhões de euros, mais 0,1 mil milhões de euros [100 milhões de euros] do que no final de setembro. Esta evolução representa um crescimento de 4,2% em relação a outubro de 2021, desacelerando pelo terceiro mês consecutivo”, refere o BdP.

Os empréstimos ao consumo totalizavam 20,7 mil milhões de euros, o que reflete um crescimento de 6,0% relativamente a outubro de 2021 (6,3% no mês anterior).

Já a taxa de variação anual dos empréstimos a particulares para consumo foi de 6,0%, diminuindo 0,3 p.p. em relação ao mês anterior, e a dos empréstimos a particulares para outros fins foi de -1,9%, diminuindo 0,2 p.p. em relação ao mês anterior.

Empréstimos a empresas desaceleram

No final de outubro de 2022, o montante de empréstimos concedidos pelos bancos às empresas era de 76,2 mil milhões de euros, menos 480 milhões de euros do que no final de setembro. Esta evolução corresponde a um crescimento de 1,1% em relação a outubro de 2021. No mês anterior, o crescimento tinha sido de 1,4%, revela o BdP.

Esta desaceleração foi mais expressiva nas micro e pequenas empresas e nos sectores do alojamento e restauração e das atividades de consultoria e administrativas, segundo os dados do Banco de Portugal. Pelo contrário, aceleraram os empréstimos concedidos às grandes empresas e às empresas do sector do comércio.

De acordo com a mesma fonte, em outubro de 2022 o crédito vencido total, em percentagem do respetivo total de empréstimos, foi de 1,56% (1,55% no mês anterior).

O crédito vencido em percentagem do total de empréstimos concedidos às Sociedades não Financeiras (empresas) passou de 2,37% para 2,42%.

Já o crédito vencido em percentagem do total de empréstimos concedidos aos Particulares fixou-se em 1,06% (1,05% no mês anterior).

 

Recomendadas

EBA lança teste de stress de 2023 para a banca e usa o mais severo de sempre dos cenários adversos

O teste de stress a nível da UE será conduzido numa amostra muito maior em comparação com anos anteriores, abrangendo 70 bancos da UE e 75% do total dos activos bancários na UE. Em termos de queda do PIB, o cenário adverso de 2023 é o mais severo utilizado até à data em toda a UE nos testes da banca.

Arranca Prémio Investigação ASF com foco no Direito e Humanidades

Incentivar a produção de trabalhos de investigação científica de elevado valor para o desenvolvimento dos mercados nacionais dos seguros e dos fundos de pensões é o objetivo do prémio, cujo vencedor será conhecido em julho.

Bancos amortizam antecipadamente pagamento dos LTRO ao BCE no valor de 25 mil milhões

O Banco de Portugal detalha que “após dois anos de aumentos sucessivos do financiamento concedido pelo Eurosistema, em 2022, as subidas das taxas de juro pelo BCE levaram vários bancos a amortizar antecipadamente os montantes obtidos através das operações de refinanciamento”.
Comentários