Empréstimos para compra de casa atingiram os 811 milhões de euros em outubro

Valor corresponde a um aumento de 21 milhões de euros face ao mês de setembro e mais 105 milhões de euros em relação a outubro de 2017. As verbas financiadas pelos bancos já ultrapassaram os oito mil milhões de euros desde janeiro deste ano.

O crédito habitação atingiu os 811 milhões de euros no passado mês de outubro, invertendo a tendência de descida que se verificava desde julho, altura em que se registou o valor de 990 milhões de euros, segundo os dados do Banco de Portugal (BdP), divulgados pelo “Correio da Manhã” esta quarta-feira.

Este valor corresponde a um aumento de 21 milhões de euros face ao mês de setembro e mais 105 milhões de euros em relação a outubro de 2017. As verbas financiadas pelos bancos já ultrapassaram os oito mil milhões de euros desde janeiro deste ano, face ao mais de seis mil milhões do período homólogo do ano anterior.

O crescimento do crédito habitação surge em sentido inverso às recomendações do Banco de Portugal, que no mês de julho havia colocado em vigor novas regras não vinculativas, com o objetivo de limitar situações de incumprimento e o consequente aumento do crédito mal parado.

Em relação à taxa de juro nos novos créditos à habitação, a média pedida pelos bancos desceu para 1,34%, o que de acordo com o BdP corresponde a um novo mínimo.

Recomendadas

Novobanco pesou 37,6% do dinheiro injetado pelo Estado na banca desde 2008 até 2021

A CGD beneficiou de 5.458 milhões de euros; o BES/Novobanco recebeu 8.291 milhões (valor do saldo negativo para o Estado); o BPN consumiu 6.146 milhões; o BPP beneficiou de 268 milhões e o Banif 2.978 milhões. Isto são as causas para o saldo desfavorável para o Estado que soma 22.049 milhões de euros.

Governos podem precisar de taxar empresas de energia para ajudar os mais pobres, diz CEO da Shell

O presidente executivo da Shell considera que o mais importante é “proteger os mais pobres” e como tal os governos podem vir a precisar de taxar empresas de energia. “Há uma discussão a ser feita sobre isso, mas acho que é inevitável” a necessidade de intervenção, considerou.

TdC identifica mais de 12 mil milhões de euros de despesa com 186 benefícios fiscais em 2021

O organismo alerta para a inconsistência com os 336 benefícios mencionados pela Autoridade Tributária, para a concentração do recurso a estas medidas em poucos beneficiários e para a falta de avaliação quanto ao impacto real das mesmas.
Comentários