Endesa prepara-se para festejar dividendo recorde

Os acionistas da Endesa devem aprovar na terça-feira a venda à Enel da participação na chilena Enersis, através da qual controla os ativos na América Latina, e ainda a distribuição de um dividendo histórico de 14.605 milhões de euros. As operações, que serão previsivelmente aprovadas numa assembleia de acionistas em Madrid, inserem-se no processo de […]

Os acionistas da Endesa devem aprovar na terça-feira a venda à Enel da participação na chilena Enersis, através da qual controla os ativos na América Latina, e ainda a distribuição de um dividendo histórico de 14.605 milhões de euros.

As operações, que serão previsivelmente aprovadas numa assembleia de acionistas em Madrid, inserem-se no processo de reestruturação da empresa, cujo negócio se centrará agora em Portugal e Espanha.

A par do desinvestimento na América Latina e dos dividendos – valor histórico sem precedentes – as alterações incluem ainda a nomeação de José Bogas como novo conselheiro delegado (o equivalente a presidente executivo), em substituição de Andrea Brentan.

Deverá ainda ser aprovada uma possível colocação em bolsa, entre investidores qualificados, de uma participação minoritária da Enel na Endesa.

A Enel, que controla 92% do capital da Endesa, comprará os ativos latino-americanos por 8.252 milhões de euros, assumindo em concreto o controlo de 60% que a Endesa detém na Enersis.

O valor da operação destina-se, previsivelmente, aos acionistas da Endesa, que a 29 de outubro receberão um dividendo de 7,79 euros por ação, mais de cinco vezes a retribuição anual ordinária.

Um segundo dividendo, de 6.352 milhões de euros – também a pagar a 29 de outubro – e que equivale a seis euros brutos por ação, elevará o total a distribuir a 14.605 milhões de euros, ou 13,79 euros brutos por título.

Este segundo dividendo extraordinário vai ser financiado em parte através de um empréstimo de 4.500 milhões de euros e de uma linha de crédito de mil milhões, que elevarão a dívida da empresa, situada atualmente em 4.550 milhões de euros.

OJE/Lusa

Recomendadas

Digi e Cellnex celebram acordo para instalação de rede 5G em Portugal

Esta é a primeira informação oficial a surgir depois de a Digi ter investido mais de 67 milhões de euros na compra de licenças 5G no leilão da Anacom.

Mastercard quer oferecer soluções tecnológicas de pagamento que incluam criptomoedas

A Economista Responsável pelos Mercados da Europa, Médio-Oriente e África no Instituto Económico da Mastercard, Natalia Lechmanova, mostrou como os hábitos dos consumidores estão a alterar-se nas economias ocidentais, onde “as pessoas estão a dar cada vez mais prioridade às experiências e menos a “coisas”.

Mobilidade Sustentável: conheça a aposta da Schindler

Com a missão de ser cada vez mais sustentável, a Schindler estabeleceu para o ano de 2030 uma redução de 50% nas emissões de gases com efeito de estufa das suas atividades, com base nos dados de 2020.