Energia e Pharol penalizam bolsa nacional em dia de perdas na Europa

O principal índice português abriu sessão esta quarta-feira em terreno negativo, acompanhando as perdas das praças europeias. O PSI 20 negoceia a cair 0,09% para os 5.393,37 pontos, pressionado pelas desvalorizações da EDP e da Galp Energia. No setor da energia, a EDP cai 0,31% para os 2,932 euros, a Galp Energia recua 0,06% para os 15,860 euros e […]

Lucas Jackson/Reuters

O principal índice português abriu sessão esta quarta-feira em terreno negativo, acompanhando as perdas das praças europeias. O PSI 20 negoceia a cair 0,09% para os 5.393,37 pontos, pressionado pelas desvalorizações da EDP e da Galp Energia.

No setor da energia, a EDP cai 0,31% para os 2,932 euros, a Galp Energia recua 0,06% para os 15,860 euros e a REN perde 0,97% para os 2,438 euros.

A cair está também a Jerónimo Martins. Bernardo Câncio, analista do banco BIG, explica que a cotada está esta quarta-feira a negociar com quedas, na altura em que na Polónia, onde a Jerónimo Martins tem grande parte do seu negócio, está a ponderar implementar medidas para limitar o número de horas que as retalhistas podem estar abertas ao domingo. “A medida está a penalizar a Jerónimo Martins”, afirma. A cotada perde 0,80% para os 16,220 euros.

Em terreno negativo estão também a NOS (-0,05%), os CTT (-0,41%), a Corticeira Amorim (-0,22%) e a Altri (-0,64%). Bernando Câncio destaca ainda a queda da Pharol. A operadora brasileira Oi terá apresentado uma nova versão do plano de recuperação judicial, que deve ser votado na próxima terça-feira na assembleia de credores. A cotada recua 1,60% para os 0,307 euros e é a cotada que mais cai no índice português.

Em contraciclo, destacam-se os títulos da Sonae, que sobe 0,82% para os 1,110 euros, e os do BCP, que avança 0,46% para os 0,262 euros. A negociar com ganhos estão também a EDP Renováveis (0,44%), a Semapa (0,32%) e a Navigator (0,02%).

Nas praças europeias, “a abertura dos mercados foi insípida”, afirma Bernardo Câncio. O alemão DAX perde 0,15%, o holandês AEX recua 0,08%, o francês CAC 40 desvaloriza 0,05%, o italiano FTSE MIB resvala 0,40% e o britânico FTSE 100 subtrai 0,02%. Em sentido contrário, está o espanhol IBEX 35, que ganha 0,24%.

“O principal índice espanhol segue a valorizar bastante depois de o conglomerado Inditex, que detém lojas como a Zara e Massimo Dutti, ter apresentado resultados”, afirma Bernardo Câncio.

No mercado petrolífero, o brent sobe 1,29% para os 64,16 dólares por barril e o crude WTI valoriza 0,84% para os 57,62 dólares.

No mercado cambial, o euro avança 0,01% para 1,174 dólares e a libra soma 0,18% para 1,334 dólares.

A marcar esta quarta-feira estão também os dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE), que apresenta hoje a primeira estimativa para as contas económicas da agricultura em 2017 e o índice de volume de negócios, emprego, remunerações e horas trabalhadas nos serviços, referente ao mês de outubro.

O analista do BIG salienta ainda que esta quarta-feira por ficar marcada pelo anúncio de uma nova subida das taxas de juro, que se prevê que seja anunciada o final da reunião da Reserva Federal norte-americana (Fed).

Recomendadas

Luta da Fed contra a inflação atinge Wall Street no fecho da sessão

De resto, o organismo liderado por Jerome Powell deu conta na semana passada da possibilidade de as taxas de juro continuarem em alta até 2023 fez com que os três principais índices tivessem caído na última semana entre 4% e 5%.

Banco de Inglaterra anuncia cenário para “testes de stress” com libra em queda

O Banco de Inglaterra divulgou hoje o cenário para testar a resistência dos grandes bancos do Reino Unido, quando o mercado obrigacionista britânico e a libra estão abalados pelas medidas orçamentais anunciadas pelo novo Governo.

Bolsa de Lisboa entre as que mais caíram. EDP Renováveis lidera perdas

O BCE e a OCDE penalizaram os mercados. “O italiano Footsie MIB foi a exceção após a vitória maioritária de Giorgia Meloni do partido de extrema-direita para o cargo de primeira-ministra, nas eleições realizadas ontem”, realçou o analista do BCP.
Comentários