Energia eólica no mar. EDP desenvolve nova tecnologia

Objetivo do projeto passar por estudar a viabilidade técnica desta solução, bem como os modelos de negócio que dela podem decorrer, criando valor nesta área


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A EDP acaba de ganhar financiamento europeu para desenvolver nova tecnologia para produção eólica offshore. O DEMOGRAVI3 é um projeto que visa desenvolver uma inovadora fundação gravítica para turbinas eólicas offshore e será financiado pelo Programa Horizonte 2020, da Comissão Europeia. O projeto tem a duração de quatro anos e incluirá uma demonstração em ambiente e escala real ao largo da Aguçadoura, Póvoa de Varzim.

Esta iniciativa reforça a aposta da EDP numa área emergente da produção eólica com forte potencial de crescimento. Pela crescente competitividade e pelo contributo que podem dar no combate às alterações climáticas, a capacidade instalada das energias renováveis tenderá a crescer a ritmo superior ao das últimas décadas, cabendo aos oceanos um papel fundamental nesta expansão. No caso da eólica, o vento é mais forte e constante no mar permitindo uma maior produtividade. Atualmente  existem  8GW offshore instalados  na Europa, uma fração ainda limitada face aos 120GW instalados em terra. Mas a quota das eólicas no mar vai crescer rapidamente nos próximos anos. Em 2020, a capacidade do offshore deverá subir para entre 21 e 30 GW, ainda sem o contributo das tecnologias em desenvolvimento para águas de média e grande profundidade como é o caso do DEMOGRAVI3 e do Windfloat liderados pela EDP.

A EDP, através da EDPR, vai coordenar o consórcio que desenvolve este novo projeto. O DEMOGRAVI3 testará uma turbina eólica com uma fundação gravítica inovadora, em betão e aço,. Esta turbina será montada e instalada no Parque de Ondas da Aguçadoura, a cerca de 6 km da costa portuguesa, aproveitando o cabo submarino de ligação à subestação em terra da turbina WindFloat, que será entretanto descomissionada para dar lugar à 2ª fase do projeto, a ser instalado em Viana do Castelo.

Ao contrário da solução baseada em plataforma flutuante testada com sucesso no Windloat, o DEMOGRAVI3 ficará assente no fundo, embora vá já montada e a flutuar até ao local de amarração. Toda a estrutura e elementos constituintes da turbina serão montados em terra e depois transportados. A principal inovação desta estrutura evita assim a necessidade de navios de grande capacidade para ancorar e para montar todos os elementos da turbina em ambiente offshore.

OJE

Recomendadas

Semapa aprova distribuição de reservas no montante de quase 100 milhões

Na Assembleia Geral Extraordinária da Semapa foi aprovada a proposta de distribuição de reservas no montante ilíquido por ação de 1,252 euros.

Bancos têm de cumprir reserva de fundos próprios de 0,25% a 1% em 2023

O BCP tem de ter uma reserva de 1%, tal como a CGD. O Santander e BPI têm de ter no seu rácio uma reserva de 0,5% e ao Banco Montepio é exigida uma reserva de 0,25%, tal como à Caixa de Crédito Agrícola. Sendo que todos têm de cumprir este ‘buffer’ a partir do dia 1 de janeiro de 2023, excepto o Crédito Agrícola.

Inapa conclui a aquisição da francesa LOOS

O Grupo Inapa concluiu a aquisição da LOOS, empresa especializada na comercialização de equipamento de impressão e consumíveis para comunicação visual (Viscom). A J.J LOOS tem sede em Mulhouse, França. O valor do negócio não foi revelado.