Energia suporta Lisboa, Europa com fraca liquidez

Os títulos da EDP, EDP Renováveis e Galp são os que mais ganham em Lisboa. Europa com pouca liquidez e sem tendência definida.

Brendan McDermid/Reuters

O PSI20 segue a ganhar 0,14% para os 4.675,20 pontos, impulsionado pelos títulos do setor energético, numa altura em que o preço do barril de petróleo está a subir nos mercados internacionais. O preço do barril de Crude valoriza 0,48% para os 54,16 dólares, enquanto o Brent, que serve de referência às importações nacionais, avança 0,53% para os 56,39 dólares.

A menos de uma semana para os maiores produtores de petróleo implementarem o acordo de corte de produção alcançado no mês passado, o preço do petróleo subiu ontem mais de 1.50%. No passado dia 30 de Novembro, a OPEP alcançou, depois de inúmeras incertezas e algumas hostilidades, o primeiro acordo dos últimos 8 anos para reduzir a produção. Os países do cartel comprometeram-se a reduzir a produção diária dos actuais 33.7 milhões de barris para cerca de 32.5 milhões.

A EDP sobe 0,58%, a EDP Renováveis soma 0,17% e a Galp ganha 0,28%. De acordo com um comunicado publicado no site da empresa, a Galp informa que recebeu, no dia 23 de Dezembro de 2016, um comunicado do Banco Santander Totta, S.A. relativo à alteração das condições do contrato de penhor financeiro estabelecido com a Amorim Energia.

Também a Navigator Company cresce 0,61%. Segundo a RISI (fonte internacional de informação e dados relativos ao sector da pasta e papel), a Navigator Company, a terceira maior empresa exportadora em Portugal, deverá aumentar entre 4% e 7% os preços dos produtos de papel fino não revestido (UWF) nos mercados do Médio Oriente, Turquia e Norte de África.

Na Europa, em semana de fraca liquidez, os principais índices seguem sem tendência definida, com o FTSE 100 a negociar no vermelho, enquanto o espanhol Ibex e o italiano MIB em terreno vermelho.
Nos mercados asiáticos, destaque para o índice de Hong Kong, que ganhou 0,83%. Já o japonês Nikkei fechou a perder 0,01%.

Ontem, os mercados acionistas dos EUA negociaram em alta após a pausa do Natal, impulsionados pela valorização do petróleo, com o Nasdaq a atingir um novo máximo.

Recomendadas

Barril de petróleo russo limitado a 60 dólares após acordo entre G7 e Austrália

Após acordo alcançado pela União Europeia, os países do G7, juntamente com Austrália, concordam com um limite de preço de 60 dólares por barril para o petróleo russo. Moscovo repete que não aceita.

Redução da produção de petróleo? “Necessária e correta”, diz OPEP+

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e os seus aliados (OPEP+) decidiu este domingo continuar a aplicar um corte na produção de petróleo em 2023, uma medida que defendeu ser “necessária e correta”.

PremiumMercados somam e seguem

Índices acionistas encerram em alta em novembro, somando segundo ganho mensal consecutivo.
Comentários