Enfermeira recebe primeira dose da vacina contra a Covid-19 em Nova Iorque

Donald Trump já reagiu a este momento, através da sua conta oficial de Twitter. Na publicação do ainda presidente dos Estados Unidos lê-se “Primeira vacina administrada. Parabéns EUA! Parabéns Mundo!”.

Arrancou o processo de vacinação contra a Covid-19 nos Estados Unidos. A primeira dose da vacina desenvolvida pela Pfizer-BioNTech foi administrada, esta segunda-feira, no estado de Nova Iorque.

A primeira paciente a receber a vacina foi a enfermeira Sandra Lindsay, do Centro Médico Judeu de Long Island, revelou, na rede social Twitter, o governador de Nova Iorque Andrew Cuomo.

“A vacina é segura e todos têm que fazer a sua parte para colocar fim à pandemia”, afirmou a enfermeira após a administração da vacina. Já o governador de Nova Iorque, afirmou que o momento representa “uma luz no fim do túnel”, mas que este é “bastante longo”.

Também Donald Trump reagiu a este momento, através da sua conta oficial de Twitter. Na publicação do ainda presidente dos Estados Unidos lê-se “Primeira vacina administrada. Parabéns EUA! Parabéns Mundo!”.

A notícia chega momentos depois do presidente ter esclarecido, esta manhã, que, ao contrário do que tinha sido anunciado, que nem o próprio nem outros funcionários da Casa Branca, não serão vacinado contra a Covid-19 para já.

“As pessoas que trabalham na Casa Branca devem receber a vacina um pouco mais tarde no processo em curso, a menos que seja especificamente necessário. Pedi que esse ajuste seja feito. Não está ainda programado que eu tome a vacina, mas estou ansioso por fazê-lo no momento apropriado. Obrigado”, disse Trump no Twitter.

Tomar a vacina de forma pública teria como objetivo dar confiança aos americanos de que a vacina é segura. Em novembro, e segundo o “The Guardian”, uma sondagem feita pela empresa Gallup revelou que pelo menos 42% dos norte-americanos não queriam tomar a vacina, mesmo que esta já estivesse disponível e não tivesse custos.

Na semana passada, os ex-presidentes dos Estados Unidos Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton prometeram ser vacinados com transmissão direta do momento na televisão para promover a confiança na vacina da Pfizer.

Neste fim-de-semana, a vacina dos laboratórios Pfizer-BioNTech começou já a ser expedida, em caixas refrigeradas a menos de 70 graus celsius, a partir da fábrica da Pfizer no estado do Michigan para hospitais e outros locais.

A Pfizer indicou que 20 aviões vão transportar estas vacinas todos os dias. “As vacinas foram expedidas e estão a caminho”, congratulou-se, no domingo, o presidente norte-americano, Donald Trump, numa mensagem divulgada na rede social Twitter.

Cerca de três milhões de doses vão ser disponibilizadas até quarta-feira, para vacinar perto de 20 milhões de norte-americanos antes do final do ano e 100 milhões antes do final de Março no país, que registou 1,1 milhões de novos casos confirmados nos últimos cinco dias.

Na sexta-feira, os Estados Unidos foram o sexto país a aprovar a vacina Pfizer-BioNTech, depois do Reino Unido, Canadá, Bahrein, Arábia Saudita e México. A agência do medicamento europeia deverá apresentar uma recomendação até final de dezembro.

Recomendadas

Desafios tecnológicos, burocracia, renováveis e perda de água em debate

A transição energética em Portugal e na Europa esteve em debate na conferência do sexto aniversário do Jornal Económico.

Transição energética não pode ser feita sem as pessoas

Empresas do sector energético destacam a importância das pessoas nos seus projetos. A transição não pode ser feita sem o envolvimento das populações locais e sem a conversão de postos de trabalho.

Escassez de carros e inflação dominam mercado da gestão de frotas

Há falta de carros, há falta de peças, há uma inflação galopante no preço das viaturas e há o perigo do abrandamento económico. São fatores negativos para as gestoras de frotas das empresas. Mas as gestoras têm soluções.
Comentários