Enfurecer Trump é prioridade na agenda de Obama

Barack Obama apresentou 98 regulamentos finais para revisão em questões-chave como educação, poluição e o reforço do plano de saúde em vigor.

A presidência de Donald Trump não começa oficialmente até dia 20 de janeiro. Uma ótima noticia para a atual administração de Obama que terá tempo de através de uma série de ações executivas cimentar o seu legado.

Barack Obama apresentou 98 regulamentos finais para revisão em questões-chave como educação, poluição e o reforço do plano de saúde em vigor.

Os líderes congressistas republicanos criticaram o movimento do atual presidente, “queremos alertá-lo contra a finalização de regras pendentes ou regulamentos da administração nos últimos dias do mandato. Se ignorar este conselho, esteja ciente de que vamos trabalhar com os nossos colegas para garantir que o Congresso analise as suas ações e, se apropriado, as cancele”.

Porque é que Trump está tão descontente com estas ações?

Muitos dos regulamentos propostos por Obama estão em oposição direta aos planos de Trump. O presidente eleito expressou sua intenção de revogar completamente o ato Obamacare e deixou clara a sua posição em relação ao clima na sua escolha para líder da Agência de Proteção Ambiental, ao selecionar Myron Ebell, um político que se opõe ao Plano de Energia Limpa em vigor nos EUA.

De acordo com o The Washington Post, revogar regulações federais é um longo processo, tornando-se demorado e trabalhoso para Trump reverter qualquer legislação que Obama consiga passar ao longo das próximas seis semanas.

A revogação das regras da era Obama exigiria a elaboração e justificação legal de novas regulamentações, um processo que poderia levar quase dois anos e que poderia não resistir ao escrutínio legal.

Depois de 20 de janeiro, Trump pode usar a Lei de Revisão do Congresso para revogar a regulamentação de Obama e evitar que legislação semelhante seja introduzida no futuro, mas o processo é árduo, e para um novo presidente, a última coisa que ele precisa é de ser amarrado aos assuntos da anterior administração.

Recomendadas

Democratas dizem que ‘impeachment’ de Trump serve para garantir que “nenhum futuro presidente” volte a apelar à violência

Recorrendo a relatos policiais, de funcionários do Capitólio e a notícias de imprensa estrangeira, os democratas alegaam que Donald Trump foi o responsável pela invasão do Capitólio, tendo provocado danos políticos e sociais de longo prazo.

Trump deseja “sucesso” e “sorte” à administração de Biden no discurso de despedida da Casa Branca

Na hora da despedida, Donald Trump limitou-se a desejar que a nova administração seja bem-sucedida, embora não tenha mencionado uma única vez o nome do sucessor, Joe Biden. O 46.º presidente dos EUA toma posse esta quarta-feira.

EUA. Um muro, o país dividido e potencial terrorismo na capital

Grades metálicas, contraplacados de madeira, uniformes, veículos militares e armas nas mãos da Guarda Nacional multiplicam-se em Washington, que se protege contra potenciais ações terroristas na posse de Joe Biden como presidente dos EUA, na próxima quarta-feira.
Comentários