Equador entregou 11 mil vistos a venezuelanos por razões humanitárias

Num comunicado oficial, aquela tutela adiantou que, entre 19 de agosto e 26 de dezembro deste ano, foram emitidos um total de 25 mil 780 vistos a favor de cidadãos venezuelanos.

O Equador entregou cerca de 11 mil vistos de exceção por razões humanitárias a cidadãos venezuelanos desde agosto deste ano, informou este sábado o Ministério de Relações Externas e Mobilidade Humana do país.

Num comunicado oficial, aquela tutela adiantou que, entre 19 de agosto e 26 de dezembro deste ano, foram emitidos um total de 25 mil 780 vistos a favor de cidadãos venezuelanos.

Destes, 10 mil 976 correspondem a vistos de exceção por razões humanitárias (VERHU), emitidos no quadro do processo de regularização de cidadãos venezuelanos estabelecido através de um decreto do Governo do Equador em 26 de julho de 2019.

No mesmo comunicado, o departamento governamental equatoriano indicou ainda que foram recusados vistos por vários motivos, os mais frequentes por erros em nomes ou apelidos, datas de nascimento ou problemas com documentos apresentados na plataforma do sistema de consulado virtual.

Essa plataforma é um mecanismo ‘online’ criado pelo Governo presidido por Lenín Moreno para organizar e regularizar a imigração para o país.

O processo de emissão de vistos de exceção por razões humanitárias encerra em 31 de março de 2020.

Recomendadas

“Ameaça russa” leva países nórdico-bálticos a reerguer defesas da Guerra Fria

A “ameaça russa” está a levar os países da região nórdico-báltica a reconstruir infraestruturas de defesa que tinham sido abandonadas com o fim da Guerra Fria, reconhecem analistas.

Antigo PM britânico David Cameron defende que países pobres desenvolvam energias fósseis

O antigo primeiro-ministro britânico David Cameron acusou hoje em Londres de “hipocrisia” a comunidade internacional por estar a pressionar países em desenvolvimento a não investir em combustíveis fósseis devido às alterações climáticas.

Tribunal russo proíbe movimento de protesto Vesná declarando-o extremista

Um tribunal russo declarou hoje como organização extremista o movimento Vesná (‘Primavera’), que organizou protestos em todo o país contra a mobilização parcial para combater na Ucrânia, decretada em setembro passado pelo Presidente Vladimir Putin.
Comentários