ERC chumba proposta para nova direção de informação da RTP

Em comunicado, a Entidade Reguladora da Comunicação indica que deu um “parecer negativo à proposta de acumulação dos cargos de Director de Programas da RTP1, RTP Internacional e RTP3 com os cargos de Director de Informação da RTP1, RTP Internacional e RTP3, ficando prejudicada qualquer outra apreciação das nomeações apresentadas até ao envio de novo pedido de parecer”.

A Entidade Reguladora da Comunicação (ERC) chumbou a proposta da RTP para a composição da nova direção de informação, depois da saída de Maria Flor Pedroso e a respetiva equipa, e para a nomeação de José Fragoso, atual diretor de programas da RTP 1 e da RTP Internacional, e diretores-adjuntos, para os lugares vagos.

Em comunicado, a ERC deu um “parecer negativo à proposta de acumulação dos cargos de Director de Programas da RTP1, RTP Internacional e RTP3 com os cargos de Director de Informação da RTP1, RTP Internacional e RTP3, ficando prejudicada qualquer outra apreciação das nomeações apresentadas até ao envio de novo pedido de parecer”.

A entidade salienta que “a convergência do poder de direcção sobre as áreas de programação e de informação de três serviços de programas do operador de serviço público numa única pessoa não só comporta o risco de padronizar ou esbater a dissemelhança de uma oferta que, em benefício da diversidade e do
pluralismo, se pretende díspar, como acima de tudo 2) o risco de tornar indiferentes ou favorecer a diluição das fronteiras entre informação e entretenimento, atenta a ambivalência dos papéis que tal responsável seria chamado a desempenhar”.

A ERC faz ainda notar no mesmo comunicado que “a envergadura da tarefa de dar cumprimento cabal a todas as obrigações que impendem legal e contratualmente sobre cada um dos serviços de programas em causa, tanto na área de programação como da informação, afigura-se francamente incompatível com aquela centralização”.

A diretora de informação da RTP Maria Flor Pedroso colocou no dia 16 de dezembro o seu lugar à disposição, depois da polémica em torno do programa “Sexta às 9”, que a levou ao parlamento. O conselho de administração do canal público informou que aceitou a decisão e agradeceu o trabalho desenvolvido pela jornalista.

Em comunicado, o conselho de administração da RTP diz que recebeu uma comunicação da diretora de informação Maria Flor Pedroso a colocar o seu lugar à disposição, “por esta considerar que, face aos danos reputacionais causados à RTP, não tem condições para a prossecução de um trabalho sério, respeitado e construtivo, como sempre tem feito”.

Relacionadas

José Fragoso rende Maria Flor Pedroso na direção de Informação da RTP

O novo diretor de informação da RTP foi escolhido como diretor de programas da estação pública em junho de 2018. Deverá acumular os cargos após parecer vinculativo da ERC.

Maria Flor Pedroso demite-se da direção de informação da RTP

A jornalista colocou o lugar à disposição, segundo anunciou o conselho de administração da RTP esta segunda-feira. “Por esta considerar que, face aos danos reputacionais causados à RTP, não tem condições para a prossecução de um trabalho sério, respeitado e construtivo, como sempre tem feito”, refere o canal.
Recomendadas

Implementação do Metro do Porto foi “processo de catequização”

O administrador dos Transportes Intermodais do Porto (TIP), Manuel Paulo Teixeira, disse à Lusa que a equipa que lançou o Metro do Porto, da qual fez parte, fez “um processo de catequização” para convencer pessoas, autarcas a instituições.

Amazon planeia gastar 95 milhões de euros por ano em publicidade no Twitter

Este valor faz parte da estratégia da retalhista online no regresso à publicidade na rede social agora liderada por Elon Musk, mas está ainda dependente de alguns “ajustes de segurança” na plataforma de anúncios do Twitter.

Comércio online representou 22% de todo o comércio na Black Friday

As compras por MB Way dispararam face a 2019, com uma subida de 1.730%, de acordo com os dados divulgados pelo Forward Payment Solutions (SIBS).
Comentários