ERC quer esclarecimentos a empresas de sondagens e media

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) abriu processos e pediu esclarecimentos a empresas de sondagens e aos media que fazem a divulgação dos resultados, disse à Lusa fonte oficial do Conselho Regulador. Questionada pela Lusa sobre a eventual existência de procedimentos relativos às empresas de sondagens, fonte oficial do regulador dos media explicou […]

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) abriu processos e pediu esclarecimentos a empresas de sondagens e aos media que fazem a divulgação dos resultados, disse à Lusa fonte oficial do Conselho Regulador.

Questionada pela Lusa sobre a eventual existência de procedimentos relativos às empresas de sondagens, fonte oficial do regulador dos media explicou que, “no âmbito do acompanhamento regulador que os serviços da ERC realizam ao depósito de sondagens e à divulgação das mesmas, foram elencadas algumas questões que exigiram a abertura de processos e a consequente solicitação de esclarecimentos a empresas de realização de sondagens e a órgãos de comunicação social que procedem à divulgação”.

A ERC garantiu que “estes não são procedimentos extraordinários e enquadram-se na atividade regular da atividade, tendo-se apenas intensificado nas últimas semanas devido a uma aceleração na produção de sondagens com projeção de voto legislativo para divulgação diária”.

O regulador não avançou com o nome das empresas de sondagens e de comunicação social.

OJE

Recomendadas

Chega/Açores vai propor fim da taxa turística no parlamento regional

O líder do Chega/Açores, José Pacheco, anunciou este domingo que o partido vai avançar no parlamento dos Açores com uma iniciativa legislativa que visa a revogação da taxa turística na região.

PSD/Açores. Orçamento de 2023 baseia-se na “responsabilidade social”

A Comissão Política Regional do PSD/Açores considerou este domingo que o orçamento do governo regional para 2023 constitui um documento baseado na “responsabilidade social”, em que as medidas para atenuar os efeitos da inflação são “prioritárias”.

Bloco de Esquerda quer urgências básicas para “desanuviar” as médico-cirúrgicas

O Bloco de Esquerda (BE) quer que o Governo invista na criação de urgências básicas para “desanuviar” as urgências médico-cirúrgicas e lamenta que “cada vez mais se contratualize com privados”, disse este domingo a coordenadora, Catarina Martins.