Erdogan oferece mediação turca a Putin no caso da central nuclear de Zaporijia

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ofereceu este sábado ajuda ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, para tentar resolver a crise sobre a central nuclear ucraniana de Zaporijia, ocupada por tropas russas.

Pavel Golovkin/EPA via Lusa (Pool)

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ofereceu este sábado ajuda ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, para tentar resolver a crise sobre a central nuclear ucraniana de Zaporijia, ocupada por tropas russas.

“O Presidente Erdogan disse que a Turquia pode desempenhar um papel facilitador na central nuclear de Zaporijia, tal como o fez no negócio dos cereais”, cujas exportações foram bloqueadas pela guerra, disse a presidência turca numa declaração citada pela agência de notícias France Presse (AFP).

A central nuclear de Zaporijia, a maior da Europa, está desde março ocupada pelas tropas russas no sul da Ucrânia.

A sua inspeção na quinta-feira por uma equipa da AIEA, com a presença do respetivo diretor, Rafael Grossi, era muito aguardada, após semanas de bombardeamentos que fizeram temer uma catástrofe nuclear.

Moscovo e Kiev acusam-se mutuamente de tais ataques à central, onde se encontram ainda até “domingo ou segunda-feira” alguns elementos da missão da AIEA, como indicou na quinta-feira o diretor daquela agência especializada da ONU.

Recomendadas

Biden: Ameaça nuclear russa coloca mundo em risco de “apocalipse” (com áudio)

Tal acontece pela primeira vez desde a crise dos mísseis cubanos no auge da Guerra Fria, sublinhou Joe Biden.

Alcançado acordo político entre países da UE para novo pacote de sanções à Rússia

A informação foi avançada aos meios de comunicação social europeus por fonte oficial da presidência checa do Conselho da UE, que indicou que “os embaixadores [dos Estados-membros] acabam de chegar a um acordo político sobre novas sanções contra a Rússia”.

Ucrânia: Putin promulga tratados de anexação de quatro regiões ucranianas

No início desta semana, os tratados de anexação dos quatro territórios à Rússia também receberam aprovação das duas câmaras do Parlamento russo.
Comentários