ERSE revê em baixa preço máximo para o gás de botija (com áudio)

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) reviu em baixa o preço máximo para o gás de botija no mês de outubro, que numa garrafa de GPL propano (T3) de nove quilos desce 18 cêntimos.

Reuters

Os novos preços entram em vigor na quarta-feira e prolongam-se até 31 de outubro.

De acordo com a tabela dos novos preços máximos, publicada no ‘site’ do regulador, até hoje, o valor de uma garrafa de GPL (gás de petróleo liquefeito) propano de nove quilogramas (kg) estava fixado em até 23,45 euros, descendo, a partir de quarta-feira, para 23,27 euros.

No caso do GPL propano de tipologia T5, o valor máximo para uma garrafa de 35 kg situava-se em 83,48 euros, passando agora para 82,74 euros, um recuo de 0,74 euros.

Já uma garrafa de propano da tipologia T3 com 12,5 kg vai passar a custar menos 0,19 euros, recuando de 27,85 euros para 27,66 euros.

Em meados de agosto o Governo voltou a fixar preços máximos para o gás engarrafado, tal como já tinha acontecido durante a pandemia de covid-19, tendo a ERSE apontado a existência de problemas estruturais no mercado, com preços desfasados das cotações internacionais, para justificar a fixação de valores máximos.

Recomendadas

Só 9% das empresas nacionais dizem ter trabalhadores certos para concretizar objetivos sociais e ambientais

Quase metade das empresas nacionais têm objetivos de ESG identificados, mas a maioria diz não ter os trabalhadores adequados para concretizar a estratégia. Recrutamento e “upskilling” são apostas dos empregadores portugueses, revela estudo do ManpowerGroup.

Aeroportos com mais 75% de passageiros no terceiro trimestre, mas abaixo dos níveis de 2019

Relativamente ao transporte de mercadorias, houve um crescimento nas vias aérea e marítima, ao invés do que aconteceu na ferrovia e na rodovia.

Preço do petróleo pode atingir os 110 dólares com embargo russo, alerta Bank of America

Cortes na produção de petróleo são outro risco que pode agravar o preço do barril. O Bank of America calcula que um corte de um milhão de barris na produção pode agravar o preço entre os 20 e os 25 dólares. Países como o Iraque, Líbia, Nigéria são outro risco que pode levar ao aumento do preço do petróleo.
Comentários