PremiumErva d’ouro: Tudo começou no azeite, com a ajuda de Homero

No princípio, era o azeite. Mesmo com uma licenciatura em Jornalismo, em termos de projeto profissional, o que sempre fez mexer Joana Lourenço, 29 anos, foi o ‘ouro líquido’, como certeiramente o apelidou o historiador grego Homero, numa metáfora que a encanta

No princípio, era o azeite. Mesmo com uma licenciatura em Jornalismo, em termos de projeto profissional, o que sempre fez mexer Joana Lourenço, 29 anos, foi o ‘ouro líquido’, como certeiramente o apelidou o historiador grego Homero, numa metáfora que a encanta. Desde pequena que Joana vive rodeada de azeite. A sua família é produtora deste bem alimentar em Rio Maior, com a marca Fonte da Bica, e cedo se habituou a vê-lo, produzi-lo, e experimentá-lo. Quando, em 2019, surgiu a hipótese de abrir um espaço no Mercado de Campo de Ourique, através de um concurso aberto pela Câmara Municipal de Lisboa, Joana Lourenço não hesitou.

Lançou mãos ao investimento, que não especifica, mas que pensa recuperar ao fim de três anos. A partir daí, a loja Erva d’Ouro, que comemorou o seu primeiro aniversário na passada terça-feira, dia 8 de dezembro, passou a ser a menina dos seus olhos e, “de longe, o seu trabalho preferido”. O nome foi buscá-lo a uma pequena oliveira que está consigo desde o primeiro dia, bem como à cor do azeite e ao nome do bairro… Campo de Ourique.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Exposição no Museu da Marinha celebra a amizade entre Alberto I do Mónaco e Dom Carlos I

No âmbito das comemorações do centenário do desaparecimento do Príncipe Alberto I do Mónaco, o Museu de Marinha de Lisboa irá acolher uma exposição organizada pelo Comité Albert Ier – 2022. Estará patente ao público a partir de dia 15. A inauguração, na véspera, conta com a presença do atual Príncipe do Mónaco, Alberto II.

“Trair e Coçar é só começar” vai ter dois ensaios solidários

O público português tem a oportunidade de assistir aos últimos ensaios antes da grande estreia e apoiar, assim, duas associações de solidariedade.

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.
Comentários